facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

10 de Julho de 2024, 17h:29 - A | A

PODERES / ORDEM DE MORAES

Mato-grossense réu pelos atos de 8 de Janeiro é preso novamente por desligar tornozeleira

Ministro apontou desprezo do réu por decisão do Supremo Tribunal Federal.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTERMT



O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, decretou a prisão preventiva do mato-grossense José Ailton Serafim, acusado de participar dos atos de vandalismo registrados em Brasília no dia 8 de janeiro de 2023. A ordem de prisão, que só foi divulgada nesta quarta-feira (10), após a prisão ser de fato efetivada, ainda determina o bloqueio de bens móveis e imóveis e das contas bancárias em nome do réu.

Na decisão, o ministro aponta o “completo desprezo” do réu para com a Suprema Corte, uma vez que a decisão que lhe concedeu liberdade provisória dizia expressamente que o descumprimento das cautelares implicaria na revogação da decisão.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

LEIA MAIS - Moraes decreta que três mato-grossenses voltem a ser presos e bloqueia contas bancárias

A ordem de prisão se deu em razão de comunicação enviada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), em 11 de junho, informando oficialmente ao Supremo Tribunal Federal que o réu não estava cumprindo as cautelares impostas e que, desde o dia 24 de maio deste ano, o monitoramento eletrônico estava desativado.

Ao determinar a prisão de José Ailton Serafim, Alexandre de Moraes defendeu o “afastamento excepcional” de garantias individuais que, conforme o ministro, “não podem ser utilizadas como um verdadeiro escudo protetivo para a prática de atividades ilícitas, tampouco como argumento para afastamento ou diminuição da responsabilidade civil ou penal por atos criminosos, sob pena de desrespeito a um verdadeiro Estado de Direito”.

José Ailton Serafim foi solto provisoriamente em 10 de março do ano passado mediante a imposição de medidas cautelares, como estar recolhido em casa aos finais de semana e durante a noite, além de usar tornozeleira eletrônica com zona restrita ao endereço cadastrado junto ao Judiciário.

LEIA MAIS - Empresária de Juara se torna ré em inquérito que investiga os atos do 8 de Janeiro

Além disso, deveria se apresentar todas as segundas-feiras ao juízo previamente indicado. Ele também foi obrigado a entregar o passaporte para a Justiça, uma vez que está impedido de deixar o país.

A decisão também citava a suspensão de quaisquer documentos de porte de arma de fogo em seu nome, assim como quaisquer registros na modalidade CAC (caçador, atirador esportivo e colecionador). Além disso, estava proibido de utilizar redes sociais e de se comunicar com os demais envolvidos, por qualquer meio.

José Ailton Serafim foi uma das mais de mil pessoas presas entre 8 e 9 de janeiro de 2023 em razão da invasão e depredação das sedes do Congresso Nacional, Presidência da República e do próprio STF, em Brasília.

Comente esta notícia

Nilson 14/07/2024

Alexandre de Moraes aqui é mato grosso! Suas atitudes te perpetuará com indigno de ficar solo brasileiro! Logo teremos pena de morte! Não desejo isto para você !... É pouco

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1