facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 22 de Julho de 2024
22 de Julho de 2024

06 de Dezembro de 2017, 15h:45 - A | A

PODERES / 154 MORTOS

Justiça Federal decreta prisão de pilotos que causaram acidente com avião da Gol

Os pilotos estavam no jato Legacy que se chocou contra o Boeing 737 da Gol, que caiu em um trecho de mata fechada no Norte de Mato Grosso, matando todos os passageiros e tripulantes.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



A Justiça Federal de Mato Grosso decretou a prisão dos pilotos norte-americanos, Joseph Lepore e Jan Paul Paladino condenados a três anos, um mês e dez dias de detenção pelo acidente com o avião da Gol, em que morreram 154 pessoas, em 2006.

A decisão foi publicada no Diário de Justiça desta quarta-feira (6).

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Faça-se constar do mandado que a pessoa acima indicada foi condenada definitivamente nos autos da ação penal n. 2007.36.03.002400-5, à pena privativa de liberdade de detenção de três anos e um mês e dez dias de detenção, em regime aberto, sem possibilidade de substituição por penas restritivas de direito, pelo cometimento do crime de atentado contra segurança de transporte aéreo”.

Conforme a decisão, os nomes dos pilotos deverão constar na base de dados da Interpol, a Polícia Internacional, com vista à difusão vermelha, uma vez que os dois são considerados procurados, já que moram nos Estados Unidos. A difusão vermelha é declarada quando há necessidade de extradição de condenados.

A Justiça ainda determinou a intimação do Ministério das Relações Exteriores, do Ministério Público Federal (MPF) e da defesa dos pilotos a respeito da decisão.

Os pilotos estavam no jato Legacy que se chocou contra o Boeing 737 da Gol, que caiu em um trecho de mata fechada no Norte de Mato Grosso, matando todos os passageiros e tripulantes.

O avião fazia o voo 1907 e saiu de Manaus (AM) para o Rio de Janeiro (RJ), caindo perto do município de Peixoto de Azevedo (MT).

Comente esta notícia