facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 22 de Julho de 2024
22 de Julho de 2024

18 de Outubro de 2017, 07h:00 - A | A

PODERES / SUPERFATURAMENTO NO SUS

Juíza determina bloqueio de R$ 1 milhão do prefeito de Tangará

O bloqueio dos bens foi decretado pela juíza Elza Yara Ribeiro Sales Sansão e atinge também o secretário de Saúde e empresa TWI Empreendimentos Tecnológicos.

DA REDAÇÃO



A juíza Elza Yara Ribeiro Sales Sansão, da 4ª Vara Cível de Tangará da Serra (a 239 quilômetros ao Médio-Norte de Cuiabá), decretou o sequestro dos bens do atual prefeito do município, Fábio Junqueira (PMDB), de seu secretário de Saúde, Itamar Bonfim, além da empresa TWI Empreendimentos Tecnológicos e Turismo Ltda., no montante de R$ 1 milhão.

A decisão proferida pela magistrada, no último dia 10, ocorreu após o Ministério Público Estadual (MPE) apontar supostas irregularidades em um contrato firmado em 2015 entre a Prefeitura de Tangará e a empresa TWI, o que pode caracterizar improbidade administrativa por parte do prefeito.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Durante as investigações, segundo o MPE, os promotores de Justiça encontraram anomalias na ata de preço e que não teria sido elaborada como termos de referência específicos agregando a comparação de preços de mercado.

Outro ponto que está sob suspeita, é o fato da empresa TWI Empreendimentos Tecnológicos ter sido contratada mesmo com a Dura-Lex Sistema de Gestão Pública Ltda-EPP atuando na mesma área de tecnologia, o que teria ocasionado prejuízo ao erário.

Também há forte suspeita de fraude nos valores estipulados em contrato após a assinatura, inobservância de prazo para instalação dos serviços contratados sem que fossem realizados, além de serviços solicitados e não realizados pela prestadora prejudicando, principalmente, os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) do município.

Comente esta notícia