facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Julho de 2024
13 de Julho de 2024

21 de Junho de 2024, 09h:41 - A | A

PODERES / OPERAÇÃO ROTA FINAL

Juiz manda prender filho e nora de ex-deputado acusado de fraudes em licitações de transporte

O ex-parlamentar Pedro Satélite morreu no começo de janeiro deste ano, em decorrência de um câncer no pâncreas.

RENAN MARCEL
DO REPÓRTER MT



O juiz João Filho de Almeida Portela, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, determinou a prisão de Andrigo Gaspar Wiegert e Glauciane Vargas Wiegert. Eles são, respectivamente, filho e nora do ex-deputado estadual Pedro Satélite, já falecido. O ex-parlamentaer morreu no começo de janeiro deste ano, em decorrência de um câncer no pâncreas.

O casal responde a uma ação penal oriunda da Operação Rota Final, de 2018, da qual Satélite também foi alvo. No caso, são investigadas fraudes em processo licitatório de transporte intermunicipal em Mato Grosso.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Os crimes imputados aos envolvidos são corrupção ativa, corrupção passiva, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Andrigo e Glauciane, conforme o pedido do Ministério Público do Estado (MPMT), teriam se mudado de residência sem informar à Justiça, "o que prejudica a regular instrução do feito e inviabiliza a futura aplicação da lei penal", traz trecho da decisão.

O magistrado, ao analisar o pedido, lembra que a decretação da prisão é uma "exceção a ser usada com parcimônia", mas destaca que o que o casal fez dificulta a citação na instrução processual.

"Resta claro que, no presente feito, não há como deixar de reconhecer sua rigorosa necessidade, face ao abalo sofrido pela ordem pública diante do crime, em tese, imputado aos acusados".

"A postura dos denunciados, de ocultação de seu paradeiro, demonstra a intenção de dificultar a apuração da verdade e a regular instrução processual. Além disso, a defesa sequer trouxe aos autos o endereço atual dos acusados", completa.

A defesa do filho e da nora de Pedro Satélite, patrocinada peli advogado Arthur Osti, já ingressou com um recurso de habeas corpus para revogar a prisão dos dois.

Rota Final

Uma investigação iniciada pela Polícia Civil de Mato Grosso em 2018 para apuração dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e fraude à licitação do setor de transporte coletivo rodoviário intermunicipal do estado culminou com uma ação penal proposta pelo Ministério Público com a denúncia de 19 pessoas dentro da Operação Rota Final.

As investigações demonstraram a existência de uma organização criminosa que tinha como principal objetivo impedir a implantação do novo Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Estado de Mato Grosso e, para tanto, os integrantes da agremiação lançaram mão dos mais variados meios criminosos para inviabilizar a concorrência pública.

A Operação teve três fases e além de Pedro Satélite também foi alvo o deputado estadual Dilmar Dal Bosco (União). Outros alvos são o empresário Eder Augusto Pinheiro, dono da Verde Transportes, e o ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa.

Sem a realização do certame licitatório as empresas ligadas aos envolvidos continuariam a explorar, em caráter precário, inúmeras linhas de transporte intermunicipal, mantendo, desta forma, o domínio econômico do setor, conforme vinha ocorrendo há várias décadas e garantindo lucros exorbitantes em detrimento da adequada prestação do serviço.

Com sua morte em janeiro deste ano, em decorrência de um câncer, Pedro Satélite foi excluído da ação.

Comente esta notícia