Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

30 de Junho de 2022, 16h:28 - A | A

PODERES / GUERRA VLT X BRT

Gallo diz que Emanuel mentiu em processo no TCU para barrar BRT

Em maio, o ministro Aroldo Cedras atendeu a um pedido da Prefeitura de Cuiabá e suspendeu os trâmites para o início das obras do BRT.

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



O secretário-chefe da Casa Civil, Rogério Gallo, afirmou que o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), mentiu no processo junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) para barrar a implantação do Bus Rapid Transit (BRT) na capital e em Várzea Grande. Segundo ele, o Governo de Mato Grosso ingressou com um recurso e aguarda que o ministro Aroldo Cedras coloque o assunto em pauta.

“As falas do prefeito de Cuiabá no processo são falsas. Houve, sim, consulta pública, houve decisão de todos os municípios no Conselho Metropolitano, que aprovou com quase unanimidade. O único voto contrário foi do município de Cuiabá”, declarou.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

Em maio, o ministro atendeu a um pedido da Prefeitura de Cuiabá e concedeu medida cautelar que suspendeu os trâmites para o início das obras do novo modal, que irá substituir o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

O governador Mauro Mendes (União Brasil) chegou a ir a Brasília, na companhia da bancada Federal do Estado, onde se reuniu com o ministro para tentar reverter a decisão, mas no dia seguinte, o Pleno do TCU decidiu por unanimidade manter a suspensão.

De acordo com o secretário, o TCU invadiu a competência, tendo em vista que não há recurso federal empregado na obra. Ele também explicou que o Governo do Estado entrou com recurso e aguarda que o tema entre em pauta.

"O Tribunal de Contas da União não tem jurisdição sobre recursos estaduais. Essa é a principal linha de defesa. Agora, estamos aguardando o ministro colocar o recurso em pauta para ser analisado”, explicou.

“Nós estamos corrigindo um erro do passado. Enfim, são algumas viúvas do VLT que elas têm que explicar porque essa paixão louca pelo VLT”, emendou Gallo.

 

Comente esta notícia