facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 14 de Julho de 2024
14 de Julho de 2024

22 de Outubro de 2017, 15h:58 - A | A

PODERES / CONTRA-ATAQUE

Bezerra diz que oposição trava PEC para impedir crescimento de Taques

Em menos de duas semanas, oposição usou manobras regimentais para suspender votação da PEC do Teto de Gastos proposta pelo Governo do Estado.

RAFAEL DE SOUSA
DA REDAÇÃO



O deputado estadual Oscar Bezerra (PSB), que compõe a base aliada do Governo na Assembleia Legislativa, afirmou que as manobras da oposição para travar a votação da Proposta de Emenda a Constituição (PEC) que impõe um teto para os gastos públicos do Estado pelos próximos 10 anos já eram esperadas e tem como único objetivo impedir a evolução da gestão do governador Pedro Taques (PSDB).

“É preocupante porque a oposição não está pensando na população de uma forma geral, mas, sim, em obstruir a evolução do Governo", afirmou Oscar Bezerra.

“Vai aprovar dentro dos prazos. Depois da primeira [votação] nós temos 15 dias de vacância para votar em segunda e está tudo na programação porque já era previsto que a oposição faria esse movimento para atrapalhar [a votação]”.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A manobra a qual Oscar Bezerra se refere é regimental e impediu, pela segunda vez somente em outubro, que os deputados estaduais aprovassem a proposta na última terça-feira (17).

A votação foi suspensa após o pedido de vista compartilhado dos deputados estaduais Mauro Savi (PSB) e Allan Kardec (PT). A situação é bem parecida com a do último 10 quando o deputado de oposição Valdir Barranco (PT) também pediu vista para barrar a tramitação da proposta.

Para Bezerra a oposição não pensa na população e sim em impedir o crescimento do Estado.

“É preocupante porque a oposição não está pensando na população de uma forma geral, mas, sim, em obstruir a evolução do Governo. Isso é muito ruim porque as pessoas que estão sem saúde pode continuar sem se não fizermos a PEC. Sem a proposta não teria dinheiro para investir onde precisa”, argumentou.

PEC

Pela proposta, durante o tempo de validade da PEC, as despesas dos poderes ficarão congeladas em valores referentes ao ano de 2016 e os orçamentos só poderão ser reajustados pelo índice da inflação do período.

A repactuação da dívida com PEC do Teto de Gastos deve promover economia de R$ 1,3 bilhão ao Estado.

Aprovada pela Assembleia, e com a promulgação pelo presidente Eduardo Botelho (PSB), a PEC passa a valer sem a necessidade de sanção do governador Pedro Taques (PSDB).

Comente esta notícia

Carlos Nunes 23/10/2017

Não entendo bulhufas essa PEC do Teto dos Gastos. Tio Temer, por exemplo, quer fazer Teto pra 20 anos, ou seja, dar pitaco (palpite) no Governos dos próximos 5 presidentes da república. Não seria melhor cuidar só do curto tempo que ainda lhe resta de mandato, e deixar esse assunto sério pro próximo presidente da república. Se esse achar que deve fazer Teto, que convoque o Congresso Nacional. Aliás, Teto dos Gastos, Reforma da Previdência, e outros importantes assuntos, devem ser debatidos exaustivamente pelos candidatos a presidente da república e governador, nos debates eleitorais...e essa próxima eleição poderia ser uma ELEIÇÃO DE PROPOSTAS, e não uma eleição de dinheiro, onde ganha quem tiver mais dinheiro.

positivo
0
negativo
0

alexandre 23/10/2017

Cresce mais não, o tamanho já diz tudo..

positivo
0
negativo
0

Jorge 22/10/2017

É a oposição tenta impedir para evitar o crescimento de um governo desgovernado, o pior dos mentirosos é o que mente para ele mesmo, eu entendo ele é deputado.

positivo
0
negativo
0

3 comentários

1 de 1