facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

10 de Julho de 2024, 11h:09 - A | A

PODERES / "ONDE VAMOS PARAR?"

Assis detona MP por denunciar PM que matou assaltante: "Um absurdo, uma total inversão de valores"

O MP além de pedir que o militar seja levado a júri popular pelo crime de homicídio, ainda solicita que seja estipulada uma indenização à família do criminoso.

APARECIDO CARMO
DO REPÓRTERMT



O deputado federal Coronel Assis (União) usou a tribuna da Câmara dos Deputados para defender o tenente-coronel da Polícia Militar Otoniel Gonçalves Pinto, que se tornou réu por ter matado um dos criminosos responsáveis por um assalto na sua casa em novembro de 2023.

Na denúncia, assinada pelo promotor de Justiça Vinicius Gahyava Martins, da 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Cuiabá, além de pedir que o militar seja levado a júri popular pelo crime de homicídio, ainda solicita que seja estipulada uma indenização à família do criminoso.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

"Um absurdo, uma total inversão de valores. Indenização ao criminoso que morreu? Meu Deus, aonde é que nós vamos chegar?"

“Um absurdo, uma total inversão de valores. Indenização ao criminoso que morreu? Meu Deus, onde é que nós vamos chegar? Nós respeitamos muito o trabalho do Ministério Público e reconhecemos o seu valor dentro do estado democrático de direito, como fiscal da lei e responsável pela ação penal. Porém, isso nós não iremos admitir, não iremos aceitar”, disse Assis no pronunciamento, que foi compartilhado nas redes sociais.

LEIA MAIS - Ministério Público denuncia tenente-coronel da PM por matar bandido que assaltou a sua casa

O deputado ainda criticou a mensagem que o Ministério Público passa para a sociedade com essa denúncia, de que, conforme o parlamentar, os criminosos estariam confortados em saber que em caso de morte, seus familiares seriam indenizados.

“O PM estava em sua casa, com sua família, com sua esposa e seu sogro, que foi agredido violentamente e no momento de uma janela de oportunidade ele conseguiu promover uma reação e neutralizar um dos dois criminosos que estavam lá”, destacou o deputado.

Assis recordou que foi aberto um inquérito policial, com reconstituição do crime, e que a conclusão do delegado de polícia responsável foi de que não havia necessidade de punição.

“Ninguém se furtou em ser investigado ou responder pela ação, porque foi feito o inquérito policial. Parabéns ao tenente-coronel Otoniel. Ele merece, não ser denunciado, merece sim uma medalha por defender o povo cuiabano, o povo mato-grossense, o povo do Brasil e defender a sua família”, afirmou.

LEIA MAIS - Juiz aceita denúncia do MP e tenente-coronel vira réu por matar bandido que assaltou a sua casa e fez família refém

No momento em que discursava na Câmara Federal, Assis ainda não tinha sido informado que o juiz Jorge Alexandre Martins Ferreira, da 12ª Vara Criminal de Cuiabá, aceitou a denúncia do Ministério Público alegando haver material probatório que fundamente a decisão.

O crime

Conforme a denúncia, na manhã de 28 de novembro de 2023, o tenente-coronel retornou para casa após deixar os filhos na escola quando, já dentro de casa foi surpreendido pela presença de um criminos. Armado, o bandido rendeu o militar e anunciou o assalto.

O tenente-coronel da PM foi levado para o andar de cima da residência, onde estava sua esposa e o sogro, também rendidos. Vários objetos foram subtraídos. O policial chegou a alertar o criminoso que uma viatura estaria em breve no local para busca-lo.

Nesse momento, o criminoso decidiu fugir do local levando o que havia conseguido pegar. A esposa e o sogro do tenente-coronel ficaram trancados, enquanto o policial foi obrigado a acompanhar o bandido para abrir o portão da residência.

LEIA MAIS - Tenente-coronel denunciado pelo MP diz que viveu 40 minutos de terror e matou assaltante para defender a família

Assim que o criminoso deixou o local, Otoniel voltou para casa, pegou sua arma funcional que estava em cima da geladeira e foi atrás do bandido. Ele encontrou o ladrão que o havia rendido e o comparsa, identificado como Luanderson Patrik Vitor de Lunas, que estava do lado de fora prestando assistência, dentro de um veículo Chevrolet Corsa, prontos para fugir.

Antes que conseguissem deixar o local, o tenente-coronel Otoniel efetuou oito disparos contra o veículo, dos quais um atingiu Luanderson na base da cabeça, rompendo totalmente a medula espinhal, conforme o laudo pericial.

Mesmo atingido, Luanderson dirigiu por mais alguns metros até a Rua João Paulo II, no bairro Santa Marta, onde bateu em um Chevrolet Cobalt e morreu.

Comente esta notícia

fenix 10/07/2024

NÃO ADIANTA TENTAR RESSUSCITAR O CANTICO DA ESPADA DE LAMEQUE DEPUTADO, O MUNDO NÃO SERÁ MUDADO COM ESSE METODO QUE VOCÊS BOLSONARISTAS QUEREM CRIAR NO BRASIL. MATAR E MATAR E AINDA MEDALHAR QUEM MATOU. EXISTEM A DIALÉTICA DA DEMOCRACIA, O CONTRADITÓRIO E A AMPLA DEFESA, O ESPIRITO DAS LEIS, JUSTAMENTE PARA QUE NÃO HAJA EXCESSO. SE DAR TAL PODERIO A VOCÊS, COM TODA CERTEZA MUITOS CIDADÃOS (NEGORS, POBRES), MORRERÃO INOCENTEMENTE, TUDO PRA DEFENDER A PROPRIEDADE. PENSE DEPUTADO E APRENDA COM JESUS CRISTO. ENQUANTO OS BENS MATERIAIS SOBREPUJAR A VIDA, VIVEREMOS ESSA DEMANDA ARRAIGADA DE MORTANDADES. NÃO MUDAREMOS O MUNDO CRIANDO LEIS QUE AMPUTAM MÃO, PÉ, DEGOLA O PESCOÇO, MATANÇA COM CHOQUE, TIRO DE FUZIL, MUDAREMOS O MUNDO COM ATITUDES BOAS, QUE DEMONSTREM AO SEMELHANTE O VALOR QUE CADA QUAL TEM NÃO SÓ UNS PELOS OUTROS, MAS PARA DEUS O ETERNO PAI.

positivo
1
negativo
3

1 comentários

1 de 1