Cuiabá, 09 de Agosto de 2022
logo

23 de Dezembro de 2017, 07h:55 - A | A

OPINIÃO / LICIO ANTONIO MALHEIROS

Verde que te quero verde

A mão que bate é a mesma que afaga.



A implementação de políticas públicas sejam elas: Federal, Estadual ou Municipal; quando implementadas visando favorecer a coletividade e comunidade como um todo, tem que ser vista e aceita com bons olhos, como a criação do projeto “Verde Novo – 300 mil árvores, Cuiabá 300 anos”, lançado na quarta-feira (13/12), projeto este, capitaneado pelo Poder Judiciário de Mato Grosso, por meio do Tribunal de Justiça e do Juizado Volante Ambiental (Juvam) o município de Cuiabá, na pessoa do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), e o Instituto de Ação Verde. Estes seguimentos organizados, envidaram esforços, no sentido de implementar este projeto de envergadura ímpar, trazendo entre seus pares, valores de equidade na execução do mesmo.

Quando se faz necessário, tecemos duras críticas, não a pessoa física de um gestor público, e sim ao homem público que naquele momento, provem a condição de gestor; como tal, este deve sim, dar explicações e satisfações de seus atos aos munícipes como um todo, afinal, foram eles, quem os conduziu ao cargo.

Agora, quando deparamos com um projeto de tamanha envergadura como esse, ficamos sim, envaidecidos, e nos sentimos envolvidos no mesmo, e procuramos difundir e propalar o mesmo, de forma a mobilizar a população como um todo, a engajar nesse projeto que terá como resultado final; melhoria na qualidade do ar que  respirarmos, e arrefecer o calor causticante da nossa querida Cuiabá.

Nosso papel, é torná-los ciente da importância desse projeto de plantio de mudas de conformidade com o tipo de solo de cada região; e não fazendo o plantio de plantas  alienígenas, como aconteceram, em outras regiões do país; talvez seja esse, o carro chefe desse projeto alvissareiro,  por certo, o mesmo  dará bons frutos, não querendo ser   redundante.  

Esse projeto altruísta terá como gestor o  prefeito  Emanuel Pinheiro (PMDB),  o mesmo, assinou um decreto criando o Disque Cidade Verde, um importante canal de comunicação com a população, que será conduzido pela Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, este canal, têm como objetivo principal, envolver a população na arborização e paisagismo da cidade.

Eu, na condição de cuiabano de chapa e cruz, não poderia me furtar em colaborar e ajudar nesse importante projeto de arborização, que trará benéfico a todos nós, melhorando assim, a qualidade de vida das pessoas.

Esse projeto me reporta, a um dos primeiros projetos de construção de  casas populares de Mato Grosso, aconteceu,  na antiga Cohab-Velha,  o dono dessa imensa propriedade, era meu querido tio Ezequiel Malheiros (in memorian) um grande homem.  Ele fez uma parceria com o governo do Estado da época, e o primeiro núcleo habitacional se chamou  Cohab-Velha, somente nos idos de   1966,    o núcleo habitacional passou a se chamar Cidade Verde, que perdura até os dias atuais, tendo como marca registrada, a grande quantidade de árvores nativas.

A mão que bate é a mesma que afaga.

Professor Licio Antonio Malheiros é geógrafo (liciomalheiros@yahoo.com.br)

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia