facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 20 de Junho de 2024
20 de Junho de 2024

10 de Novembro de 2022, 09h:05 - A | A

OPINIÃO / WILLIAM FIGUEIREDO

Saneamento e agricultura familiar, parceria produtiva



De resíduos a adubo orgânico, um novo ciclo virtuoso se torna realidade em Cuiabá. A transformação do que seria carga poluidora em insumo para agricultura familiar é fruto do projeto Biolodo, desenvolvido pela área de Sustentabilidade da Águas Cuiabá em parceria com a Prefeitura Municipal e a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer). A iniciativa, inédita em nossa região, mostra que de fato, na capital do coração do Brasil, preservação ambiental é prioridade.

Desde que estudava engenharia, anos atrás, eu já observava a evolução do mercado no quesito ambiental. Não se admitia mais – o que é muito bom! – edificações que desconsiderassem, em sua concepção e projetos, os possíveis impactos socioambientais provenientes de suas intervenções e utilização. Ou seja: ao construir um prédio, tornou-se fundamental mapear os mais diversos tipos de reflexos que poderiam vir a existir, como o aumento do fluxo de pessoas e veículos, por exemplo, que terminaria por demandar a ampliação da capacidade do transporte e das vias públicas.

Mais do que tendência de mercado, a adoção de uma conduta baseada em sustentabilidade se tornou exigência legal, no exterior e aqui no Brasil, condição que impulsionou o setor em que atuamos – o saneamento básico – a buscar constantes melhorias de performance, fazendo uso da ciência e da tecnologia em favor da conservação dos recursos naturais.

Neste sentido, a inovação tem nos permitido relevantes avanços, em projetos de todos os portes. Um dos exemplos, em Cuiabá, é a entrada em operação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Ribeirão do Lipa. Com estrutura compactada e modulada, ela trata mais esgoto, requerendo menos espaço e tempo, gerando mínimos odores e devolvendo ao Rio Cuiabá efluentes purificados, dentro dos mais rigorosos padrões técnicos.

E é nesta mesma ETE que o chamado “biossólido” ou “lodo do esgoto” (resíduo resultante do processo de tratamento) passa por um processo que o habilita a ser utilizado como adubo na fruticultura, plantações de feijão, milho e adubação de pastagens. Além do desenvolvimento do projeto, pude acompanhar a primeira entrega do produto, ocorrida recentemente no Assentamento 21 de Abril, em Cuiabá. Junto com o time da concessionária, Prefeitura e Empaer, conheci o Sítio Nossa Senhora Aparecida, do casal Rosenei e Sérgio de Souza. Eles são os primeiros a utilizar o Biolodo em Mato Grosso.

No sítio, entre uma boa conversa e um café no capricho, ficou evidente que iniciativas sustentáveis geram valor nos mais diversos contextos. Seja em uma grande cidade, evitando o lançamento de carga poluidora nos mananciais, ou em uma pequena propriedade rural, reduzindo o uso de adubos químicos em uma pastagem voltada à pecuária leiteira, ações realizadas com o objetivo de conservar recursos naturais são relevantes, necessárias e produtivas.

É uma honra fazer parte deste projeto.

William Figueiredo é diretor geral da Águas Cuiabá.

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia