facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 21 de Junho de 2024
21 de Junho de 2024

02 de Novembro de 2022, 06h:00 - A | A

OPINIÃO / NEWTON TAFURI

Novembro Azul: deixe o preconceito de lado!



O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer mais comum em homens, sendo considerado um tumor da melhor idade. Isso se deve ao fato de que mais da metade dos casos de câncer de próstata ocorre em pessoas com mais de 65 anos de idade.

Se descoberto cedo, o câncer de próstata apresenta 90% de chances de cura. No entanto, para que isso seja possível, há um grande desafio: vencer o preconceito e permitir diagnósticos em fases iniciais da doença.

A maioria dos homens, no entanto, evita procurar o médico por temer o exame de toque retal, que, além do câncer, é importante para diagnosticar outros problemas anorretais e da próstata.

E aqui é importante citar os principais fatores de risco para o desenvolvimento dessa doença: a idade, histórico familiar, obesidade e hábitos alimentares não saudáveis. Homens da raça negra também apresentam chance aumentada de desenvolver a doença.

O câncer de próstata geralmente apresenta evolução lenta, portanto, é essencial estar atento a sinais e sempre fazer exames preventivos.
O diagnóstico precoce pode ser a chave para um tratamento de sucesso.

Sintomas
O câncer de próstata, geralmente, evolui lentamente, sendo assim, os sintomas são percebidos quando a doença já está em estágio avançado, dificultando o tratamento. Os principais sintomas desse tipo de câncer são a diminuição do jato de urina e aumento na frequência urinária. Também podem ocorrer dificuldade ao urinar e sangue na urina.

Diagnóstico
Para diagnosticar o câncer de próstata, é fundamental a realização do exame de toque e o de sangue, que é conhecido como PSA (Antígeno Prostático Específico). Esses dois exames, apesar de sua importância, não podem ser usados de maneira isolada para afirmar com precisão a ausência ou suspeita de câncer.

Em caso de alteração nesses exames, pode-se solicitar uma biópsia para a confirmação da presença do tumor e exames de imagem para verificar se outras áreas foram atingidas.

A SBU recomenda que, a partir dos 50 anos, o urologista seja procurado anualmente para a realização dos exames. Pacientes que compõem os grupos de risco aumentado devem procurar o médico a partir dos 45 anos de idade. Estima-se que homens com parentes próximos que tiveram esse tipo de câncer antes dos 60 anos possuam, em média, 3 a 10 vezes mais riscos de desenvolver a doença.

Prevenção
Uma alimentação saudável, rica em verduras, vitaminas e cereais, é uma das formas de prevenir diversas doenças. Segundo alguns especialistas, pode também ajudar na prevenção contra o câncer de próstata, apesar de essa relação ainda ser incerta.

Além disso, é importante evitar gorduras de origem animal, bem como consumir excessivamente carnes vermelhas.Não fumar, beber moderadamente e realizar atividades físicas também podem ajudar a diminuir os riscos de apresentar a doença ou o surgimento de formas mais graves.

Apesar de bons hábitos de vida serem essenciais, eles não garantem prevenção completa contra o câncer de próstata. Sendo assim, o melhor é realizar exames periódicos a fim de conseguir um diagnóstico precoce da doença. Para isso é preciso deixar o preconceito de lado.

Dr. Newton Tafuri é urologista e diretor da Sociedade Brasileira de Urologia em Mato Grosso (SBU/MT).

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia