Cuiabá, 30 de Janeiro de 2023
logo

10 de Dezembro de 2014, 08h:37 - A | A

OPINIÃO /

Fazer diferentemente

Devemos fazer mais do que os outros esperam de nós

WILSON CARLOS FUÁ



Não podemos deixar que o nosso viver se transforme numa simples rotina, por isso, temos que procurar fazer algo novo, buscando a renovação continuadamente, mesmo que as vezes, tenhamos que desenvolver uma nova maneira de realizar a mesma coisa diferentemente, pois a vida não fica a esperar pelos cansados e retardatários, o importante é nunca deixar de progredir. 


Existem pessoas que desligam do presente, e ficam a lamentar o passado, são adeptos dos choros sem lágrimas, alimentadores de perdas e vivendo de saudades, mas existem também aquelas que ao invés de planejar o seu dia-a-dia ficam tentando fazendo exercício de futurologista, pensando que é possível ser feliz no futuro, o importante é reforçar a saúde mental sustentada pelo seu próprio otimismo. 

 

Na verdade, temos todas as ferramentas necessárias para construir o nosso presente, tudo depende dos comportamentos a nosso favor, não se esqueça de ativar a sua força de vontade, e nunca esqueça que a nossa “autoestima” é um estado de felicidade interior, mas não devemos também, ficar apenas vivendo da “autoestima provisória” é o mesmo que usar os óculos com a lente de magia, tentando apenas profetizar o futuro, esperando que a felicidade esteja sempre de plantão a nos esperar infinitamente, ali na esquina da sua vida. O nosso maior desafio é tentar desvendar o autodesconhecimento.

As relações sociais são associadas às trocas, por isso devemos fazer mais do que os outros esperam de nós, devemos aceitar os obstáculos apenas como mais um desafio e acreditar sempre na capacidade de ser um realizador, tendo em vista, a visualização de vencer sempre, se propondo a refazer tudo que está errado e finalmente acreditando na sua capacidade de que tudo que se fará dará certo, pois somos a essência de um projeto humano em busca da perfeição.

WILSON CARLOS FUÁH é economista e especialista em Recursos Humanos e Relações Sociais e Políticas.

>>> Siga a gente no Twitter e fique bem informado

Comente esta notícia