Cuiabá, 03 de Fevereiro de 2023
logo

25 de Novembro de 2014, 21h:58 - A | A

JUDICIÁRIO / 'EXECUÇÃO' DE MARCHETTI

Juiz ouve caseiro matador; MP não acredita na motivação sexual do crime

Além do assassino, policiais militares que atenderam a ocorrência e funcionários da fazenda, próxima ao município de Barão do Melgaço (120 km da capital), onde Marchetti foi morto, também serão interrogados.

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



O caseiro Anastácio Marafron, réu confesso do assassinato do ex-secretário Vilceu Marchetti, será ouvido na manhã desta quarta-feira (26) pelo juiz da comarca de Santo Antônio do Leverger (33 km de Cuiabá), Murilo Mauro Mesquita. O depoimento faz parte da primeira audiência de instrução do crime, que ocorreu há quase cinco meses.

Além do assassino, policiais militares que atenderam a ocorrência e funcionários da fazenda, próxima ao município de Barão do Melgaço (120 km da capital), onde Marchetti foi morto, também serão interrogados.

Ao RepórterMT, a assessoria de imprensa do MPE afirmou que promotor Natanael Moltocaro não tem dúvidas sobre a execução do crime, praticada por Marafron. No entanto, não acredita na motivação passional do assassinato, como foi confessada pelo próprio réu, em depoimento à Polícia Civil. 

Marafron disse que matou Marchettil porque o teria flagrado apalpando as nádegas da sua esposa, durante um jantar na fazenda. Revoltado, o caseiro teria se armado com um revólver calibre 38 e ido até o quarto da vítima, o matando com três tiros. Em seguida, jogou a arma em um rio que corta a propriedade rural.  

A sessão judicial ocorre após o Ministério Público Estadual (MPE) recusar o inquérito criminal feito pelo delegado da Polícia Civil de Santo Antônio, Sidney Côrrea. Logo após o indeferimento do processo, ele foi transferido para uma delegacia de Cuiabá. Com isso, o delegado Marcel Gomes assumiu a comarca e teve que realizar 16 novas diligências, das 17, requeridas pelo promotor Natanael.

Atualmente, Marafron está preso em uma cela do presídio Capão Grande, em Várzea Grande. 

Divulgação

marchetti

Marchetti foi morto com três tiros

O CRIME

Marchetti foi assassinato com três tiros na noite do dia 7 de julho. Marafron confessou em depoimento que cometeu o homicídio porque teria flagrado a vítima apalpando as nádegas da sua esposa, de 36 anos.

Segundo os delegados da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da capital, Silas Tadeu, Anaíde Barros e Walfrido do Nascimento, que deram apoio nas investigações do delegado Sidney, disseram que Marafron flagrou  ex-secretário apalpando as nádegas da esposa, o homem tirou tudo a ‘limpo’ em um lugar da fazenda.

Durante a discussão do casal, a mulher confessou os abusos. Com isso, o homem foi até o apartamento onde Marchetti dormia, sacou uma arma e atirou na vítima.

Após o assassinato, ele jogou a arma no rio que corta a fazenda e agiu normalmente durante o trabalho da Polícia Militar, que chegou primeiro no lugar.  

Ao perceber o comportamento da mulher, os policiais a indagaram sobre o crime, quando ela confessou ter sido abusada pela vítima. Com isso, Anastácio confessou o assassinato e foi preso em flagrante.

Divulgação

anastacio

Caseiro está preso em uma cela do presídio Capão Grande

Comente esta notícia