Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

28 de Novembro de 2014, 18h:49 - A | A

JUDICIÁRIO / TERRA PROMETIDA

Incra abre investigação contra servidores envolvidos em fraude agrária

Além do Incra, a PF verificou também que o esquema contava com o auxílio de integrantes de entidades de classe, bem como servidores de Câmaras de Vereadores e de Prefeituras Municipais.

DA REDAÇÃO



O Incra deve abrir uma investigação contra os servidores supostamente envolvidos na operação 'Terra Prometida', da Polícia Federal. A informação é do Jornal Nacional.

Além do Incra, a PF verificou também que o esquema contava com o auxílio de integrantes de entidades de classe, bem como servidores de Câmaras de Vereadores e de Prefeituras Municipais.

A operação foi realizada nesta quinta-feira (27) em 10 cidades de Mato Grosso e mais três estados. A Polícia Federal estima que mil lotes da União estejam em situação ilegal. Aproximadamente 350 policiais federais cumpriram 227 mandados judiciais: 52 de prisão preventiva, 146 de busca e apreensão, além de 29 medidas proibitivas. 

Cerca de 40 mandados de prisão já foram cumpridos, informou, por meio de nota, a Polícia Federal, nesta sexta-feira (28). Dentre os alvos há oito servidores públicos.

A investigação apurou que o grupo criminoso procurava obter uma verdadeira “reconcentração fundiária” de terras da União que haviam sido destinadas à reforma agrária. Com ações ardilosas, uso da força física e até de armas, compravam a baixo preço ou invadiam essas áreas. A fraude pode ter onerado os cofres públicos em R$ 1 bilhão.

Para a manutenção do comércio ilegal e reconcentração de terras da reforma agrária, no decorrer dos últimos dez anos, a organização criminosa fez uso de documentos falsos, ações de vistoria simuladas, termos de desistência fraudados e dados inverídicos incluídos no Sistema de Informações de Projetos de Reforma Agrária (SIPRA/INCRA), propiciando que grandes latifundiários, grupos de agronegócio e até empresas multinacionais ocupassem ilicitamente terras da União destinadas à reforma agrária.

VEJA REPORTAGEM MOSTRADA NO JORNAL NACIONAL

Pelo menos três envolvidos no suposto esquema são conhecidos. o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Marino Franz, e os irmãos Odair e Milton Geller, que são irmãos do ministro da Agricultura, Neri Gueller (PMDB).

 

O ministro Nery Geller disse que não é investigado na operação e negou que os irmãos também tenham cometido qualquer irregularidade.

“Eu e meus irmãos estamos muito tranquilos, e acho que isso vai se esclarecer. É importante dizer que o assentamento em Itanhangá tem 20 anos de existência e já deveria ter sido emancipado. Estou acompanhando tudo, conversei com meus irmãos e a primeira coisa que fizeram ao chegar em Cuiabá foi se apresentar à PF. Meus irmãos não têm lote lá. Eles nunca exploraram lá. Eles não têm nenhum envolvimento, até onde eu sei”, disse Geller, que acaba de chegar de Dubai, nos Emirados Árabes.

De acordo com o ministro, o caso tomou grandes proporções pelo fato de ele ocupar um cargo ligado ao Palácio da Alvorada. Ele pediu que a PF aprofunde as investigações para que tudo seja esclarecido, mas deixou claro que acredita na inocência dos irmãos, já que ambos não teriam posses na terra.

“Eu acho que a PF tem que investigar mesmo. Eu não estou chateado de forma nenhuma. Se tiver irregularidades, tem que ser punido, agora, no caso dos meus irmãos, os dois não tem nada em Itanhangá. Mas porque eu sou ministro, ai dá mídia. Os meus irmãos estão muito tranquilos e a informação que eu tenho é que eles foram os únicos que se apresentaram espontaneamente”.

A PF DIVULGOU O NOME DOS ENVOLVIDOS, CONFIRA

1º GRUPO É FORMADO POR POLÍTICOS

- Natal Aparecido Deliberai
- Elio  Faquinello
- Eder Faquinello
- Jesus Valdomiro
- Oliva Antônio Silva Braga
- Gustavo  Dassoler
- Bento Sangioto
- Wanderley Pastro
- Marino  José Franz
- Silvestre Kaminski
- Donizete Casavechia
- Delfino Casavechia
- Antônio Ad Mattei

- Rui Schenkel

SERVIDORES DO INCRA

- Auro Custódio da Silva
- Jorge Fonseca 
- Antônio Alves Nogueira (Toninho do Incra) 
- Genuíno Soriano

SINDICALISTAS

- Hildo da Lapria
- Ivete Painstain
- Bento Sangioto
- Luciano Pedo da Silva

NUCLEO FAMILIAR 

-Vessari
- Mendes
- Loddi
- Fortes
-Zangrandi
-Bach
- Geller
- Danicolo 
- Casavechia

Comente esta notícia

Assentado 01/12/2014

A venda de lotes pelos "selecionados/escolhidos" pelo INCRA é a regra... isto é fato notório. É necessário uma varredura no INCRA, para identificar a corrupção escancarada, investimentos inúteis nos Projetos de "Reforma Agrária", desapropriação de áreas inapropriadas para assentamentos, envolvimento de servidores do Órgão com bandos especializados em invasão de terras particulares, etc, etc...

1 comentários

1 de 1