Cuiabá, 26 de Setembro de 2022
logo

20 de Agosto de 2022, 16h:25 - A | A

GERAL / GUERRA NAS BOMBAS

Etanol cai para casa dos R$ 3,30 e gasolina a R$ 4,90 em Cuiabá; Empresário diz que "setor está se matando"

Claudyson Alves, dono de postos, diz que os empresários do setor "estão se matando" e que, em Cuiabá e VG, não tem posto dando lucro

ANDRÉ MICHELLS
DA REDAÇÃO



Postos de Cuiabá estão, a cada dia, derrubando mais o preço do etanol nas bombas. A concorrência ferrenha e o "desespero" de alguns empresários para melhorar as vendas faz com que, muitos revendedores, trabalhem quase sem margem de lucro neste combustível. Segundo Claudyson Martins Alves, dono de postos e diretor do Sindipetróleo, a renda do segmento caiu e a tentativa de atrair mais consumidores fez com que a concorrência ficasse acirrada.

"O segmento está desesperado. Os caras abaixam [preços]  para aumentar as vendas e ela não aumentam; é concorrência mesmo, estão se matando e trabalhando sem margem", disse.  Questionado se os preços mais baixos, especialmente no caso do etanol, são por causa da já permitida compra direta das usinas, Alves negou e disse que, nesse caso, "a diferença é pouca, apenas R$ 0,05 por litro e nem compensa; estão [postos] trabalhando sem margem mesmo", afirma.  Sobre gasolina e diesel, que também estão com preços em queda, Claudyson foi categórico: "É desespero mesmo. Em Cuiabá e VG não tem posto dando lucro”, disse.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Ele explica a lógica da concorrência. "O cara tem um posto com 200 mil litros. Ele abaixa o preço, vende um milhão de litros e vem lucro pra ele. E o que acontece? o outro

Reprodução

Claudyson Martins Alves

Claudyson Alves é vice-presidente do Sindipetróleo em MT

abaixa, abaixa e está todo mundo morrendo, ou seja ele volta a vender os 100 mil litros que vendia e com margem pequenininha ou sem lucro. É o que está acontecendo hoje", disse. 

NOVO ICMS

O governo de MT reduziu, há pouco mais de 2 meses, a alíquota de ICMS de 23% para 11,9% na gasolina. No etanol -  que era 14% - passou para 9,3%. A medida foi tomada em decorrência da lei federal que limitou o imposto em 17% nos estados. Antes, cada estado podia cobrar de forma livre. Em MT a gasolina chegou a pagar 25% de ICMS. Já no âmbito federal, o governo zerou os impostos de sua competência.

ESCALADA 

A disparada nos preços dos combustíveis se acentuou no final do auge da pandemia com aumentos sucessivos praticados pela Petrobras, seguindo as variações cambiais e os valores do petróleo no mercado internacional. É que os países produtores de petróleo, para recuperar a demanda reprimida do famigerado “fica em casa”, reduziram sua produção, o que gerou certa escassez. A lei da oferta e da procura fez os preços apontarem para cima, como nunca antes.  O litro da gasolina em Cuiabá chegou a R$ 8,00 no ano passado. Hoje, já é possível encontrar na casa dos R$ 4,90, mesmo valor de abril do ano passado. O Etanol caiu ainda mais e  já chega na casa dos R$ 3,30.

O dirigente afirma que, além da concorrência, as quedas também derivam da redução de impostos. Por outro lado, a tendência, segundo ele, é que os preços sofram alguma elevação nos próximos dias, já que o movimento da commoditie é de alta lá fora.

Em artigo publicado nesta sexta, no RepórterMT, Claudyson aponta que, “menos impostos, mais combustível nos tanques e economia mais aquecida, já que o cidadão que possui automóvel sente menos o peso no orçamento e sobra dinheiro para a família aplicar despesas, como lazer, que foi tirada da lista de prioridades diante crise. 

Comente esta notícia

NEMIAS SAMUEL B 23/08/2022

Parabéns Bolsonaro, vamos baixar ainda mais e acabar com os esquemas dos postos de combustível

Luiz 22/08/2022

Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

Concorrência 22/08/2022

Fecha os seus postos amigão. sai do ramo

Concorrência 22/08/2022

E tem gente q é contra o livre mercado. Se tivéssemos mais distribuidoras e a Petrobrás fragmentada. Era mais barato ainda

Wagner Barbosa dos Reis 22/08/2022

Esses donos de postos de combustíveis na sua grande maioria são empresários aproveitadores, só sabe reclamar quando eles formam os cartéis de preços em Cuiabá é Várzea Grande aí tá ótimo para eles, agora vem reclamar da baixa lucratividade no setor. São todos mentirosos inclusive o cara que representa o setor, faz parte do mesmo saco sujo.....

Brutus Frutus 22/08/2022

Coitadinho dos donos dos postos né? Estou morrendo de dó deles.

ALOIZIO BARROS DE SOUZA 22/08/2022

Piada? Conta outra agora senhor. Estão acostumados a faturar horrores e qdo chega a hora de nós míseros mortais consumidores economizar um pouco, vêem com essa balela. Obrigado presidente Bolsonaro.

Luciano 22/08/2022

Reclamação sem nexo causal a mamata acabou tem que baixar ainda mas

Marcio Garcia 22/08/2022

Acostumaram tanto a locupletar-se as custas do povo, que quando a situação fica mais justa vem com este discurso mórbido de que estão trabalhando sem lucro. BLA BLA BLA.... Esta redução é só mais uma prova do tão quanto (governo estadual e empresários) nos estorquiam.

Wanderley 22/08/2022

Vá contar lorota pra outros! Tá pra nascer o dono de posto que trabalha sem margem de lucro!

37 comentários

1 de 4
Última