facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

02 de Dezembro de 2017, 16h:03 - A | A

GERAL / ALUNO MORREU

Governo suspende investigação contra tenente acusada de tortura

A interrupção é para que o Conselho de Justificação conclua o inquérito, que não pôde ser realizado em razão de a tenente estar de licença médica novamente.

RAUL BRADOCK
DA REDAÇÂO



O Governo de Mato Grosso suspendeu as investigações contra a tenente Izadora Ledur, acusada de tortura durante treinamento de alunos do Corpo de Bombeiro Militar e da morte do jovem Rodrigo Claro, após as aulas.

A decisão foi publicada em portaria no Diário Oficial do Estado neste sábado (2), porém, a suspensão passou a valer desde o dia 14 de novembro, quando a tenente apresentou seguidos atestados médicos. Ela se mantém afastada das ações do Corpo de Bombeiros.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Conforme a portaria assinada pelo Governador Pedro Taques (PSDB), a suspensão das investigações é necessária para que o Conselho de Justificação - que faz parte da Corregedoria do Corpo de Bombeiros - conclua o inquérito de investigação, que não pôde ser realizado em razão da tenente estar de licença médica.

Reprodução

Rodrigo Claro

Rodrigo Claro morreu após, supostamente, ter sido torturado em treinamento realizado na Lagoa Trevisan.

" O Governador do Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais e tendo em vista o que consta no Ofício nº116/CG/2017, datado de 14 de novembro de 2017, e com base no artigo 11, parágrafo único, da lei nº 3.993, de 26 de junho de 1978, resolve sobrestar, pelo período de 60 dias, a contar a partir de 14 de novembro de 2017, o prazo para a conclusão dos trabalhos do Conselho de Justificação criado pelo Ato nº 18.200, de 31 de maior de 2017, instaurado em desfavor da Justificada 1º Ten BM Izadora Ledur Souza Dechamps, conforme justificativas constantes no Processo nº 618769/2017", diz  o comunicado.

Tortura em treinamento

Recentemente, o ex-aluno bombeiro Maurício Santos, que participou do 15º curso de Formação do Corpo de Bombeiros, afirmou ter sido torturado pela tenente Izadora Ledur. Ela foi acusada de ser responsável pela morte do aluno Rodrigo Patrício Lima Claro, 21 anos, em novembro de 2016.  Maurício afirmou que estaria morto caso não tivesse desistido das aulas.

RpMT/Reprodução

izadora ledur.jpg

A tenente Ledur é acusada de tortura em treinamentos.

A morte

Rodrigo Claro era aluno do 16º Curso de Formação de Soldado Bombeiro do Estado de Mato Grosso e morreu no dia 15 de novembro de 2016. Ele passou mal durante aula prática de primeiros-socorros aquáticos na Lagoa Trevisan, em Cuiabá, quando a tenente Izadora Ledur atuava como instrutora.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Estado (MPE), a vítima demonstrou dificuldades para desenvolver atividades como flutuação, nado livre e outros exercícios e, diante da situação, a tenente utilizava métodos abusivos nos treinamentos para puní-lo.

Depoimentos colhidos durante a investigação indicam que Rodrigo foi submetido a intenso sofrimento físico e mental. O MPE denunciou o "perfil perverso da tenente como instrutora".

Ledur chegou a ser afastada das atividades após apresentar sete atestados médicos para tratamento de saúde, com depressão, desde a época do caso e segue afastada até janeiro de 2018.

Leia mais

'Só estou vivo porque desisti', diz ex-aluno sobre curso que matou bombeiro aspirante

TJ retira tornozeleira e permite volta de tenente aos Bombeiros

Juiz marca audiência de tenente acusada por morte de aluno para 2018

Juiz mantém liberdade de tenente acusada de torturar e matar aluno

Associação diz que tenente está em depressão após acusações

Associação isenta tenente por morte de aluno em treinamento

MPE recorre de decisão de juíza e pede prisão de tenente acusada de torturar aluno

Tenente dos Bombeiros acusada de torturar aluno tira licença médica até outubro

Comente esta notícia

Claudio 04/12/2017

Alguns dias atrás fiz um comentário dizendo que não ia virar em nada isso dito e feito tai infelizmente saiu impune, agora pode voltar as atividades normais ou seja eliminar mais alunos, desgraçando e destruindo as famílias. LAMENTÁVEL ! AGORA SEGURA A VINGAÇA DESSE MOSTRO COM OS COLEGAS DO ALUNO MORTO LÁ NO BATALHÃO VIXE ...

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1