facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 22 de Julho de 2024
22 de Julho de 2024

07 de Novembro de 2017, 16h:20 - A | A

GERAL / EM VÁRZEA GRANDE

Empresa é denunciada por trabalho escravo e cárcere privado

Os trabalhadores acionaram a Polícia Militar (PM) e relataram que foram proibidos de sair das dependências da empresa há alguns dias, o que é considerado cárcere privado.

CAMILA PAULINO
DA REDAÇÃO



Três funcionários de uma empresa terceirizada, que presta serviços para a Minerva Foods – antiga Sadia – denunciaram à Polícia Militar que viviam em situação de escravidão e eram mantidos em cárcere privado. A denúncia foi feita na tarde desta segunda-feira (6), em Várzea Grande.

De acordo com o boletim de ocorrência ao qual o teve acesso, os trabalhadores acionaram a Polícia Militar (PM) e relataram que foram proibidos de sair das dependências da empresa há alguns dias, o que é considerado cárcere privado. 

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Um dos caminhoneiros disse à PM que a empresa não dispõe de banheiro e quartos para dormirem. 

O chefe de segurança da empresa, ao ser questionado pelos policiais militares, disse apenas que estava cumprindo ordens e que não poderia deixar que os caminhoneiros saíssem do local. 

A empresa pode responder por constrangimento ilegal, trabalho escravo, sequestro e também cárcere privado.

A Minerva Foods é considerada uma das maiores indústrias alimentícias do País, ocupando o terceiro lugar no ranking de indústrias de carne bovina, atrás apenas da JBS Friboi e da Marfrig Global Foods.

Outro lado

A reportagem solicitou um posicionamento da Minerva Foods, por meio da assessoria de imprensa que fica na sede da empresa em Barretos (SP), mas até o fechamento da matéria não foi respondida a solicitação. 

 

 

Comente esta notícia