Cuiabá, 11 de Agosto de 2022
logo

29 de Junho de 2022, 17h:54 - A | A

GERAL / GUERRA DE FACÇÕES

Secretário: Somos o estado que mais apreende drogas e recupera veículos

Pelo menos 10 execuções foram ordenadas na Capital apenas em 2022. Os alvos seriam membros de facção que se tornaram informantes da Polícia

APARECIDO CARMO
DAFFINY DELGADO



O secretário de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, comentou a atual “guerra de facções” pelo domínio da região de fronteira de Mato Grosso. De acordo com Bustamante, o foco agora são as cidades do interior que têm registrado aumento nos números de mortes violentas, especialmente em Cáceres (a 220 km de Cuiabá), onde Comando Vermelho e PCC têm protagonizado confrontos frequentes.
“Estamos trabalhando muito em cima disso. Os profissionais de Cáceres estão trabalhando bem, incessantemente. Estamos fazendo os investimentos necessários. Fizemos a licitação das câmeras agora e vamos começar a colocar nas cidades que, em tese, estão aumentando a quantidade de homicídios. Quem sabe assim a gente consegue segurar um pouco essa onda”, disse Bustamante à imprensa, na manhã desta quarta-feira (29).
Como vem mostrando o RepórterMT, é cada vez maior o número de mortes nas cidades do interior na disputa travada entre o Comando Vermelho (CV) e o Primeiro Comando da Capital (PCC) pelo domínio no tráfico de drogas. No meio dos confrontos, a população fica refém da criminalidade. Pelo menos cinco inocentes morreram na cidade.
Questionado se não falta uma estratégia da inteligência policial para o enfrentamento ao crime organizado nas áreas da fronteira de Mato Grosso, rotas de entrada e circulação de drogas e armas do tráfico, o secretário defendeu que o trabalho está sendo realizado e tem obtido bons resultados.
“Eu não acredito nisso, não. Tanto é que o trabalho na fronteira está sendo muito bem feito pelo Gefron. Somos o Estado que mais apreende drogas, recupera veículos, então não é falta de planejamento estratégico. É uma onda que está acontecendo e que a gente vai ter que tentar debelar”, afirmou.
Como mostrou o Repórter MT na última segunda-feira, até o momento o CV detém o domínio do tráfico de drogas na Grande Cuiabá. Contudo, segundo o delegado Caio Fernando Albuquerque, da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), pelo menos dez execuções foram ordenadas na Capital e em Várzea Grande apenas em 2022. Nesse caso, os alvos seriam membros e ex-membros da facção que se tornaram informantes da Polícia.

Comente esta notícia