Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

03 de Janeiro de 2017, 07h:00 - A | A

CONEXÃO PODER / VEJA O VÍDEO

'Não entrei no PSB para apoiar o PT', diz Garcia sobre domínio nacional

Garcia destacou que o fato de ser destituído da direção do PSB foi uma consequência por resistir à mudança ideológica da sigla ao contrariar determinação da executiva e votar a favor da Reforma Trabalhista.

DA REDAÇÃO



Em entrevista ao programa Conexão Poder, o deputado federal, Fabio Garcia declarou que o “PSB é página virada”. Ele está ingressando no Democratas como membro da executiva nacional e é cotado para ser presidente regional do partido.

“Eu não entrei no PSB com o projeto de apoiar o PT (partido dos trabalhadores). Eu entrei no PSB com projeto de apoiar Eduardo Campos a presidente da República que era um projeto inovador”, argumentou.

O deputado disse que se revoltou  contra a tendência de “pernambucanização” do partido, que domina os integrantes para serem favoráveis a medidas que agradem ao PT.

“Eu não entrei no PSB com o projeto de apoiar o PT (partido dos trabalhadores). Eu entrei no PSB com projeto de apoiar Eduardo Campos a presidente da República que era um projeto inovador”, argumentou.

Garcia destacou que o fato de ser destituído da direção do PSB foi uma consequência por resistir à mudança ideológica da sigla ao contrariar determinação da executiva e votar a favor da Reforma Trabalhista.

“Melhor tirar pessoas que resistiam a isso e ficar com um partido menor, mas que ele [presidente Carlos Siqueira] dominasse completamente, inclusive para apoiar o PT”, criticou.

 

O deputado assevera que a tendência do partido agora é “desidratar” por perder 12 deputados federais no Congresso, até março , e todos os deputados estaduais em Mato Grosso, o que vai favorecer diretamente o Democratas, que segundo ele, “vai se transformar no quarto maior partido do Brasil. Sem precisar assediar partidos da base aliada do Governo”.

Clique aqui e assista a entrevista na íntegra.

 

Comente esta notícia