Cuiabá, 05 de Outubro de 2022
logo

09 de Dezembro de 2013, 11h:50 - A | A

CIDADES / DÍVIDA DE R$ 184 MILHÕES

Em crise, Modelo recusa cartões de crédito para dinheiro não ser tomado por bancos

Advogados da Rede tentam na Justiça impedir a operação automática dos bancos credores da instituição

ALINE FRANCISCO
DA REDAÇÃO



Os clientes que frequentam o supermercado do Grupo Modelo, que já levam um susto ao se depararem com os caixas e as gôndolas, sem muitas mercadorias, agora passam por constrangimento naquela que já foi a maior rede de supermerados da Capital. As lojas que restaram não aceitam mais cartões de crédito das tradicionais bandeiras Visa e Mastercard. Marcas usadas pelas maioria das pessoas que operam com cartões.  O problema é que a Rede não divulga a recusa e os clientes só ficam sabendo an boca do caixa, quando um panfleto é entregue. "Passei apuros na hora de pagar a conta; tive que sacar dinheiro no caixa eletrônico", conta a cliente J.M.C.

 

Repórter MT

Panfleto entregue aos clientes

A suspensão na utilização dos cartões foi uma medida tomada pela Rede para evitar que os valores sejam transferidos diretamente para as contas dos bancos credores da rede, que tenta um processo de recuperação judicial.

“Uma medida judicial permitiu que os valores recebidos nesses cartões fossem repassados diretamente para os bancos. Então suspendemos o recebimento nesses cartões, para garantir que esses valores fiquem com o supermercado”, explica o advogado da instituição, Euclides Ribeiro.

Segundo Euclides, a decisão de transferir os valores foi do Tribunal de Justiça (TJ-MT). A Rede entrou com o pedido para que a decisão fosse suspensa e aguarda resposta. “Já pedimos que essa medida fosse suspensa. Não tem como transferir diretamente os valores para os bancos. Temos reponsabilidades com os credores e funcionários”.

A situação vem ocorrendo desde o dia 29 de novembro, mas para tentar amenizar a situação a Rede está concedendo desconto de 4% para clientes com compras com valor superior à R$100,00, até o dia 13 de dezembro, período em que o advogado do grupo pretende ter uma parecer judicial sobre a questão. “Estamos aguardando uma decisão da Justiça, esperamos em breve solucionar essa situação”.

Por meio de nota a empresa informou que está recebendo normalmente os seguintes cartões e convênios: Alelo Alimentação (Visa Vale), American Express, HiperCard, Elo (Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica) Brasil Card, Cabal Alimentação, Caderneta Eletrônica Modelo, Caderneta Empresa Modelo, Cartão Alimentação Modelo, Cartão Modelo, Calcard, Cheque a vista, Cheque pré, Goodcard, Goodcard Alimentação, Sodexho, Ticket Alimentação, Tip Card e Topremium.

RepórterMT

Crise afugenta clientes da rede que já foi a maior de MT


 

RECUPERAÇÃO JUDICIAL

A Rede Modelo vem buscando na Justiça o direito de retomar o processo de recuperação judicial, que foi suspensa após decisão do desembargador Dirceu dos Santos, a pedido de sete credores, entre eles, seis instituições bancárias. A decisão foi proferida no dia 13 de novembro.

 
 

 

 
 

O plano de recuperação estabelecia que o pagamento da dívida fosse feito em 60 vezes. A primeira parcela foi paga em novembro, já as demais estão suspensas porque decisão do desembargador. No documento consta que existem mais de 1.200 credores, entre fornecedores, instituições bancárias e prestadores de serviço, além de 2 mil empregados que têm valores a receber.

O Grupo Modelo enfrenta problemas financeiros desde o final de 2012, o que o obrigou a vender o Hipermercado da Avenida Miguel Sutil, bem como a fechar a loja de atacado na Avenida Beira-Rio.

A dívida da empresa com instituições financeiras, fornecedores e ex-empregados chega a R$184 milhões.

 
 

 

Comente esta notícia

maria 10/12/2013

Vcs nao sabem do que estao falando...materiazinha ridicula...deveriam se informar melhor

salvador jr 09/12/2013

Muito engraçado essa.Se acontece isso comigo, não vou me constranger quem precisa do meu dinheiro é o Grupo Modêlo não eu dele, basta abandonar as compras em cima do caixa e ir para o BIGlar que tem estrutura sólida e respeito pelos seus clientes e não faria isso sem avisar préviamente.

2 comentários

1 de 1