Cuiabá, 02 de Julho de 2022
logo

Quinta-feira, 27 de Outubro de 2011, 10h:02 - A | A

R$ 22 MILHÕES

Duplicação da Mário Andreazza recebe ordem de serviço

Construtora Agrimat vai realizar a obra e, após início, terá 12 meses para concluir

DA REDAÇÃO

Estratégica no projeto de mobilidade urbana de Cuiabá e de Várzea Grande para a Copa do Mundo de 2014, a duplicação da rodovia Mário Andreazza recebeu ordem de serviço e está sendo realizada a preparação do canteiro de obras. A construção do corredor de trânsito é a principal intervenção no tráfego para o Mundial que integra a Matriz de Responsabilidade com o Governo Federal.

O alargamento da ponte que também compõe a rodovia já tem 38% do projeto executado. As obras de duplicação da estrada começam no entroncamento da Av. Miguel Sutil (Av. Ciríaco Cândia) e seguem até o entroncamento das BRs 070, 163 e 364 (Trevo do Lagarto), num total de 9,417 km. A MT-444 é uma das mais importantes rotas de integração entre Cuiabá e Várzea Grande, sendo uma alternativa viária entre os dois centros urbanos. A duplicação vai custar R$ 22 milhões.

A rodovia realiza a ligação entre Cuiabá e o interior do Estado através do Trevo do Lagarto, sem a travessia pelo centro de Várzea Grande. O secretário extraordinário da Copa do Mundo Fifa 2014, Eder Moraes, destacou que a duplicação do trecho é fundamental para acompanhar o crescimento populacional da região e também para cumprir a uma exigência da Fifa para a mobilidade urbana.

"A principal avenida para saída do aeroporto é a Feb, mas caso haja algum incidente e ela seja bloqueada é preciso um plano B para os dias de jogo. O caminho secundário oferecido é a Estrada da Guarita, que termina na Mário Andreazza, por isso estamos duplicando ambas. Essa região de Várzea Grande receberá milhares de unidades residenciais e a via contribuirá para a redução do tráfego de veículos pesados no centro", afirmou Eder Moraes.

A rodovia facilitará o acesso ao Centro de Treinamento de Várzea Grande e também ao novo terminal de integração da cidade, que a prefeitura municipal planeja construir em frente à empresa Coca-Cola. "O centro se tornará o futuro estádio do município", acrescentou.

A empresa vencedora do processo licitatório, Agrimat, realizará a obra e já começou a trabalhar no canteiro. O grupo prepara a região para receber as máquinas e os trabalhadores que executarão o projeto. Após o início dos trabalhos, o novo corredor será entregue a população mato-grossense no prazo de 12 meses.

As obras para duplicação da Mário Andreazza incluem os serviços de terraplenagem; pavimentação; drenagem; sinalização e projeto de recuperação do meio ambiente. O Corredor Mário Andreazza será formado pela rodovia e pela ponte que passa sobre ela, que está em obras desde maio e a execução do projeto já está em fase avançada.

Crescimento populacional

A duplicação da rodovia Mário Andreazza tornou-se um dos principais projetos não só pela necessidade de criar alternativas viáveis para o trânsito durante o Mundial, mas também pelo aumento do fluxo de veículos decorrente do crescimento das duas cidades na última década.

A Prefeitura de Várzea Grande estima que mais de dois mil veículos circulem diariamente pelo trecho. "A densidade populacional está crescendo na área, onde hoje moram cerca de 25 mil pessoas. Além do fluxo de veículos particulares, precisamos de uma via que atenda a contento a demanda do transporte coletivo", pontuou o titular da Agência Municipal de Habitação, Regularização Fundiária e Desenvolvimento Urbano de Várzea Grande, Aparecido Reginaldo Rodrigues.

Rodrigues destaca que a criação de cinco mil novas unidades habitacionais na região elevará expressivamente o número de moradores da área. "Temos uma projeção de que em 10 anos o número de moradores chegará a 100 mil. A duplicação da rodovia é um projeto que faz parte do nosso Plano Diretor e há muitos anos tentamos viabilizá-lo", destacou. A rodovia Mário Andreazza atenderá a população de mais de 50 bairros de Várzea Grande.

Comente esta notícia