Cuiabá, 13 de Agosto de 2022
logo

30 de Dezembro de 2017, 07h:55 - A | A

VARIEDADES / TREINAR FELIZ

Sorrir durante corridas pode melhorar seu desempenho

O sorriso provoca uma redução da tensão muscular

UOL



Você já tentou sorrir enquanto corre para ver se seu desempenho melhora? Pode parecer que não há relação, mas sorrir pode alterar a forma como você se sente psicologicamente durante as corridas e dar aquele gás na reta final.

Um novo estudo publicado no Psychology of Sport and Exercise, pesquisadores decidiram reunir um grupo de corredores recreativos e fizeram testes durante os treinos. Os 24 voluntários, homens e mulheres, não estavam cientes do  propósito do estudo, e foram informados que a pesquisa analisaria diversas variáveis da corrida, como quanto oxigênio é usado em cada velocidade.

>> Clique aqui e participe do grupo de WhatsApp 

Primeiro, os pesquisadores testaram a capacidade dos voluntários, fazendo com que eles usassem uma máscara para medir a respiração enquanto corriam em uma esteira até se cansarem.

Enquanto treinavam, os cientistas pediram que os corredores avaliassem como se sentiam e descrevessem as estratégias que usavam para conseguir prosseguir e ignorar, por exemplo, as dores no corpo.

Depois, cada voluntário completou uma série de quatro corridas de seis minutos, durante as quais foram atribuídas quatro abordagens: sorrir com sinceridade, correr franzindo a testa, relaxando a parte superior do corpo, ou usando os truques mentais que estavam habituados.

Alguns corredores melhoraram ao franzir a testa, e os pesquisadores especulam que fazer carão aumentou a determinação em superar o desempenho habitual. Porém, os corredores realmente impulsionaram o desempenho quando sorriram. No grupo, os resultados foram 2,78% mais eficientes com sorrisos, uma melhora significativa para competições.

“O sorriso provocou uma redução da tensão muscular”, explicou Noel Brick, palestrante que liderou o estudo ao The New York Times.

Mas tem que sorrir com sinceridade. Muitos corredores tiveram dificuldade de sorrir durante a sessão de seis minutos, então suas risadas ficaram cada vez mais fixas e forçadas. Os sorrisos falsos ativaram menos músculos faciais do que as risadas sinceras e, segundo Brick, trouxeram menores aprimoramentos.

A chave para ter os benefícios é realmente estar feliz e contente no exercício. É melhor ter pequenos momentos de sorrisos de verdade do que forçar uma risada durante a prova toda, explicou Brick ao jornal americano.

Comente esta notícia