Cuiabá, 27 de Novembro de 2022
logo

05 de Dezembro de 2016, 09h:18 - A | A

VARIEDADES / TEME A MORTE

Silvio recusa entrevista a Jô por recomendação de cigana

Segundo o apresentador, representante do povo nômade disse que ele perde a vida no dia seguinte se der entrevista ou aparecer em livro ou filme

TERRA



Silvio Santos é alheio a entrevistas e também não quer aparecer em livro ou filme pois teme a morte. Segundo o apresentador que completa 86 anos daqui a oito dias uma cigana lhe fez a previsão, nos EUA, que caso faça alguma dessas coisas morre no dia seguinte. Por isso, o dono do SBT recusou a ser entrevistado por Jô Soares no último dia do seu programa na Globo.

"O pessoal não acredita, mas eu sim. E não vou me arriscar. A cigana só falou de filme, livro e entrevista. Exposição, não", disse em entrevista à "Folha de S.Paulo", publicada neste domingo (4). O pai de Patricia Abravanel, com quem cometeu gafes durante o Teleton, se referia à homenagem que vai receber no Museu da Imagem e do Som de São Paulo. A mostra tem início na próxima quarta-feira e relembra vários momentos da carreira de mais de 50 anos do comunicador e empresário, desde a época que ainda era locutor na balsa que ligava o Rio a Niterói.

>> Clique aqui e participe do grupo de WhatsApp 

Programas clássicos como "Porta da Esperança", "Namoro na TV" e "Domingo no Parque" ganharam reproduções. Apesar da profecia da representante do povo nômade, Silvio concordou em gravar algumas cenas para a exposição. A vida pessoal do artista pai de seis filhas, entre elas Rebeca Abravanel, não aprovada em sua estreia como apresentadora, está fora da exposição.

O que também não deve ser visto é o terno prateado que o apresentador usou ao ser homenageado em 2001 pela Tradição no carnaval do Rio. "Estão quase achando? Puxa, que bom", disparou o empresário. Segundo a publicação, Silvio mantém a recompensa de R$ 3,5 mil pela peça procurada desde meados de 2015. Questionado se vai comparecer à mostra, assegurou. "Vai ser bom visitar. Vou me lembrar de muita coisa. Qualquer hora vou lá", garantiu ele, que doou R$ 2 mil para grafiteiros que estamparam seu rosto em rua de SP.

Comente esta notícia