Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

27 de Dezembro de 2017, 08h:46 - A | A

VARIEDADES / MUNDO

Japonesa morre após ser aprisionada pelos pais por 15 anos

De acordo com os acusados, eles só aprisionaram a filha porque ela sofria com “transtornos mentais” que a deixava violenta

METRÓPOLES



Uma mulher de 33 anos morreu após ficar 15 anos confinada em um quarto de 3 metros quadrados. Segundo a emissora japonesa “NHK”, Airi Kakimoto teria sido presa pelos pais aproximadamente aos 17 anos. Quando o corpo foi encontrado, pesava apenas 19 quilos, apesar de ter 1,45 metros de altura.

A informação foi divulgada nesta terça-feira (26/12), e as análises apontam que a mulher deve ter morrido no último dia 18/12. O cadáver só foi encontrado após os pais da japonesa acionarem a polícia no sábado (23/12). Airi morreu congelada dentro do quarto no qual foi aprisionada, na cidade de Neyagawa, província de Osaka, no Japão.

>> Clique aqui e participe do grupo de WhatsApp 

O pai de Airi, Yasutaka Kakimoto, de 55 anos, admitiu ter prendido a mulher e, de acordo com a agência “Kyodo”, ele e a esposa só fizeram isso porque a filha sofria de um “transtorno mental que a deixava violenta”. Logo após, o casal confessou ter alimentado a vítima somente uma vez por dia durante os 15 anos de prisão.

O cômodo usado como confinamento foi construído por Yasutaka e contava com um banheiro improvisado e um tubo conectado a um tanque instalado na parte externa para Airi beber água. Além disso, havia uma câmera de vigilância e a única porta do quarto só podia ser aberta por fora. O casal foi preso por abandono de cadáver. Provas estão sendo reunidas para a abertura de uma investigação por homicídio.

Comente esta notícia