Cuiabá, 26 de Setembro de 2022
logo

28 de Novembro de 2013, 08h:34 - A | A

VARIEDADES / PESQUISA

Cientistas americanos podem ter descoberto \'hormônio da fidelidade\'

Área do cérebro ligada ao prazer foi estimulada após inalação de ocitocina.

GLOBO NEWS
DA REDAÇÃO



A fidelidade humana pode estar ligada a um hormônio, é o que aponta um estudo divulgado pela Academia de Ciência dos Estados Unidos. Os pesquisadores acompanharam 40 homens jovens que estavam em um relacionamento sério há pelo menos seis meses e que diziam estar apaixonados por suas parceiras. Depois de ver fotos de suas namoradas e de mulheres atraentes, mas desconhecidas, um grupo foi orientado a inalar o hormônio ocitocina, enquanto o outro inalou um placebo.

A região do cérebro ligada ao prazer e ao desejo ficou iluminada quando os homens que tinham inalado o hormônio viram fotos de suas amadas, o que não acontecia ao ver as fotos das mulheres desconhecidas. Segundo um dos responsáveis pela pesquisa, a ocitocina pode criar uma preferência inconsciente pelas parceiras. Os mesmos cientistas descobriram, em outro estudo, que homens casados que inalaram o hormônio evitavam mais do que os solteiros uma aproximação física com outras mulheres.

>> Clique aqui e participe do grupo de WhatsApp 

Comente esta notícia