Cuiabá, 29 de Janeiro de 2023
logo

26 de Outubro de 2014, 12h:48 - A | A

POLÍTICA / NOVO GOVERNADOR

Taques terá o desafio de concluir as 'problemáticas' obras da Copa

Taques deve ter um canal de comunicação com a população para que seja transparente com as obras da Copa

ALINE FRANCISCO
DA REDAÇÃO



O governador eleito Pedro Taques (PDT) deve encarar assim que assumir o comando do Palácio Paiaguás, no dia 1 de janeiro de 2015, um dos principais desafios do seu governo: dar continuidade às obras da Copa em Cuiabá e Várzea Grande. A principal delas: o VLT, que deve ser entregue pelo atual governo apenas 7km, dos 22 km previstos, até o dia 31 de dezembro de 2014.

Para saber mais sobre a situação das Obras da Copa, Repórter MT conversou com o Conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), André Schurring.

O CREA participou ativamente dos estudos relacionados às Obras da Copa, fazendo relatórios e apontando inconformidades em várias delas feitas pelo atual governo do Estado.

Com uma falha terrível na comunicação, a gestão Silval Barbosa (PMDB) vive desde o início dessas obras desgastes. E é nesse ponto que Taques, principalmente, deve melhorar com a população: transparência com as ações do governo e com a população.

“O próximo governante precisa ser transparente com a população e realmente expor os problemas de cada obra. Isso melhoria a vidas das pessoas que usam as ruas e Avenidas de Cuiabá, e, além de tudo, demostraria respeito com a população, que é quem realmente está pagando por isso”, comentou André Schuring.

RepórterMT

André Crea

Conselheiro do Crea, André Schurring diz que novo governador deve ser transparente com a população sobre os problemas das obras da Copa

Segundo o Conselheiro, a prioridade do governo Taques, neste momento, não será o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), e sim, a conclusão das Trincheiras da Miguel Sutil.

“A prioridade para o próximo governante é concluir as obras nas trincheiras que estão na perimetral [Avenida Miguel Sutil], essas são as obras que mais impactam na vida das pessoas, por isso devem ser priorizadas. As trincheiras precisam de uma solução urgente, a do Santa Rosa, por exemplo, não suporta mais o trânsito, por mais que tenha sido ampliada, o local não está mais dando conta de atender a demanda”, ressaltou.

O Conselheiro também aponta que o novo governador deve criar um cronograma e expor para a população aquilo que deve ser cumprido em relação às obras.

“É preciso estabelecer um cronograma que fosse possível executar, expor para a população quais trabalhos estão sendo executados e quais os problemas identificados na obra. Ter um trato transparente com a população é o que se espera, independente de quem seja o novo governador”, observou.

Para o CREA, o chefe do executivo deve assumir o diálogo com a população ao colocar no papel quais são as obras que têm problemas e de que forma deve ter a solução, principalmente sobre o Veículo Leve Sobre Trilhos.

“O reflexo na população das obras inacabadas ou que apresentam problemas é o temor generalizado. Ninguém sabe o que está acontecendo, as pessoas chegam a temer pela própria vida”. “É preciso abrir o jogo e falar o que realmente está acontecendo com a obra do VLT”.

André Shcuring também sugere que se Taques trabalhar de forma organizada, ele deve conseguir finalizar todas as obras até julho do ano que vem, menos o VLT.

“Se o novo governante trabalhar de forma organizada, as obras em Cuiabá, com exceção do VLT, devem ficar prontas até julho de 2015. Agora dizer que o VLT vai ficar pronto até o final do ano que vem é impossível, levando em conta o andamento das obras que estão sendo executadas para a implantação do modal. Tudo deve ficar pronto em no mínimo dois anos. Engenharia não é desejo, são ações organizadas”, apontou.

ABAIXO, COMO ESTÁ A SITUAÇÃO DE CADA OBRA DA COPA

ARENA PANTANAL

Com capacidade para 44 mil torcedores, a Arena Pantanal recebeu quatro jogos da Copa do Mundo em julho. Antes do evento, a Arena recebeu jogos do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil.

Polêmica, a obra foi uma das últimas a ser entregue para a FIFA realizar o Mundial. Passada a Copa do Mundo, o novo Verdão já recebeu outros jogos do Brasileirão, porém, alguns setores do Estádio apresentam problemas.

Abdalla Zarour

DSC00196.JPG

Arena Pantanal deve ser privatizada pelo atual governo do estado; novo estádio apresenta problemas graves, como falta d'água em dia de jogo nos vestiários

No jogo entre Goiás e Flamengo, pela Série A do Brasileiro, por exemplo, internautas flagraram parte do forro do setor norte caindo, além da péssima situação em que foram encontrados vários banheiros, com muita sujeira e parte do forro também caído.

No último jogo na Arena Pantanal, entre Corinthians e Vitória da Bahia, na quarta-feira (22), pelo Campeonato Brasileiro da Série A, os dois técnicos, Ney Franco e Mano Menezes, reclamaram de sujeira e da falta d'água.

Antes mesmo do início da Copa, um operário de uma terceirizada morreu eletrocutado.

A empresa foi condenada a indenizar a família do rapaz em mais de R$ 5 milhões. A expectativa é saber como será a nova gestão da Arena Pantanal no governo Taques, já que o atual governo de Silval Barbosa (PMDB) apontou para a concessão do Estádio.

O objetivo atual do governo do estado é privatizar o Novo Verdão. 

REFORMA E AMPLIAÇÃO AEROPORTO MARECHAL RONDON

O Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, também é uma das obras polêmicas da Copa. Está em fase de conclusão a instalação dos sistemas eletrônicos.

Assessoria

AEROPORTO

Aeroporto também é outra obra polêmica do governo Silval Barbosa (PMDB); a obra está prometida para ser entregue para dezembro deste ano

Duas pontes de embarque foram finalizadas e outras duas continuam em obras. Serviços de rede de esgoto e água potável continuam em execução. O aeroporto que deveria ser concluído antes da Copa, foi prometido pelo Secretário da Secopa, Maurício Guimarães, para outubro, mas um novo aditivo de prazo publicado no Diário Oficial do Estado colocou a entrega da obra para dezembro deste ano.

VEÍCULO LEVE SOBRE TRILHOS – VLT

O principal tormento da população chama-se VLT. A obra, que também deveria estar pronta antes da Copa do Mundo, onde várias vezes foi prometida à sua entrega pelo governador Silval Barbosa (PMDB), deve ter apenas um trecho pronto, e com muito otimismo.

A previsão é de que do Aeroporto até a Ponte Júlio Muller, no Porto, em Cuiabá, deva estar pronto até o fim deste ano. Mas a conclusão final do Modal, que deve custar aos cofres públicos em torno de R$ 1,477 bilhão, só será conhecida assim que Taques tomar conhecimento da realidade da obra e fazer uma previsão.

RepórterMT

vlt

VLT é a principal obra de Mobilidade Urbana das obras da Copa e também a mais cara

As obras para a construção do VLT em Cuiabá e Várzea Grande serão de aproximadamente 22,2 km de extensão, ligando a região do CPA ao Aeroporto, e do Coxipó da Ponte ao centro de Cuiabá.

O modal será implantado no canteiro central das avenidas Historiador Rubens de Mendonça, FEB, 15 de Novembro, Tenente Coronel Duarte (Prainha), Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa.

VIADUTO SEFAZ

O elevado, Jamil Boutros Nadaf, localizado na Avenida do CPA, que integra o pacote para implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), terá 278 metros e em formato de ferradura. A construção do viaduto amenizará o tráfego na região da av. Historiador Rubens de Mendonça onde passam em média cerca de 2.700 veículos por hora/sentido em horário de pico.

A polêmica obra demorou muito para ser entregue. Ela apresentou problemas no piso por causa de uma chuva. Agora, com problemas de fissuras, a obra foi interditada totalmente desde o fim de agosto.

Secom

silval viaduto

Silval Barbosa (PMDB) inaugura Viaduto da Sefaz; obra é motivo de piada na internet

A interdição aumentou o desgaste na imagem de Silval Barbosa (PMDB). Por conta disso, a obra virou motivo de chacota durante o horário eleitoral pelos adversários do candidato ao governo Lúdio Cabral (PT) e nas redes sociais. Esta também será uma obra, assim como o VLT, que Pedro Taques herdará do atual governo.

TRINCHEIRA SANTA ROSA

A trincheira Santa Rosa integra o pacote de intervenções de travessia urbana, resultado de um convênio entre Governo do Estado e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Com 520 metros de extensão, após a conclusão, a obra irá revitalizar o fluxo de trânsito de diversos bairros de Cuiabá, como o Goiabeiras e o Santa Rosa. Porém, a obra é também motivo de polêmica.

A Trincheira que deveria ser entregue antes da Copa, teve mais prazos de entregas que não foram cumpridos. O último prazo foi 30 de setembro e mais uma vez não foi cumprido. A obra passa por problemas ambientais e o Ministério Público já entrou na parada.

Estas foram apenas algumas das obras da Copa do Mundo previstas para Cuiabá e Várzea Grande que enfrentam problemas e precisam de um diagnóstico sério para saber de fato como elas serão tocadas a partir do próximo governo.

Além delas, ainda existem as obras da Trincheira km Zero, Trincheira Luiz Felipe, Passagem em nível Trigo de Loureiro, Sobreposição do Córrego da Prainha, Alargamento do Viaduto da Avenida Miguel Sutil, Pontes sobre o Rio Coxipó, Viaduto do Aeroporto, Viaduto Beira Rio, Construção da Ponte Sobre o Rio Cuiabá, Centro de Controle Operacional do VLT, Implantação da Via Permanente do VLT, Revitalização do Córrego Mané Pinto, obra que teve recentemente aditivo de R$ 2 milhões, Duplicação do Parque do Barbado, esta obra está suspensa por determinação do Ministério Público. Restauração e Duplicação da Avenida Arquimedes Pereira Lima, Duplicação da Estrada da Guarita, os Cots da UFMT e da Barra do Pari, Trincheira do Verdão, Trincheira Jurumirim, Viaduto da Dom Orlando Chaves, Complexo Viário do Tijucal.

Como se viu, muitas obras da Copa prometidas para serem finalizadas no mandato de Silval Barbosa (PMDB) podem ficar como sobras para Taques resolver. Diante disso, fica uma pergunta? A Secopa vai ser mantida para tocá-las, ou vai ser extinta?

Comente esta notícia