Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

31 de Dezembro de 2014, 07h:30 - A | A

POLÍTICA / 31 DE DEZEMBRO

Silval não cumpre promessa e VLT não chega nem ao bairro do Porto

Depois de muitos fracassos, obra foi prometida para 31/12. Foi revista e, então, a meta era chegar até o Porto, mas 2015 entra e não há expectativa alguma de prazo

ANA ADÉLIA JÁCOMO
DA REDAÇÃO



O sonho dos mato-grossense de ter o modal mais moderno do país sequer tem data para ocorrer. O trem de superfície teria como hoje, 31 de dezembro, o prazo da última entrega no atual governo.

A implantação do VLT (veículo leve sobre trilhos) era para estar concluída a tempo de receber os jogos da Copa do Mundo, que ocorreram em junho deste ano, no entanto, nem mesmo para 2015 há previsão para o metrô de superfície fazer parte do cotidiano dos cuiabanos.

Originalmente, o VLT deveria ter sido apesentado em março de 2014, sob o valor de R$ 1,477 bilhão, mas a Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) e o governador Silval Barbosa (PMDB) passaram a se recusar a apresentar novos prazos para a entrega da obra, que sequer tem um trecho inaugurado.

A secretaria já pagou 72% do valor total, o que corresponde em torno de R$ 1 bilhão. Porém, somente 30% da obra foi concluída e nenhuma parte está em funcionamento.

Com o fim do mandato de Silval, as obras do VLT em Cuiabá e Várzea Grande parecem estar paralisadas.

Secom

silval vlt

Silval Barbosa fez inúmeras promessas para entregar o VLT, nenhuma se concretizou. Trem deveria ter sido utilizado antes do Mundial de 2014

O único trecho parcialmente concluído é o do terminal de embarque e desembarque no Aeroporto Marechal Rondon, no entanto, nenhum vagão circula e o canteiro de obras ainda precisa de acabamentos.

O restante do trajeto perece com interdições, trilhos inacabados e muito descaso.

Silval assinou um Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) para que o trecho de 7Km Aeroporto-Porto fosse entregue até 31 de dezembro, mas nada está pronto e nem aberto ao uso da população.

O trajeto deveria ser entre a região do CPA e o aeroporto, com dois terminais de integração (um na região do bairro CPA 1 e outro próximo ao Aeroporto) e 22 estações de transbordo. A outra linha faria o trajeto Coxipó-Centro.

RepórterMT

vlt

Silval usou e abusou da imagem do VLT, passando a ideia para a população de que a baixada cuiabana teria um dos melhores transportes públicos da América Latina. Porém, o trem só anda 'mísero' 1 km.

Ao todo, o modal conta com 40 composições – formadas por sete vagões cada uma – e com capacidade para carregar até 400 passageiros em cada carro, sendo 400 pessoas em pé e 77 sentadas.

A realidade financeira do Estado foi exposta pelo governador eleito Pedro Taques (PDT). Leia AQUI. De acordo com dados da sua equipe de transição, os vagões estão paralisados porque as obras não avançaram e sequer foi apresentado por Silval um prazo para inauguração de algum dos trechos previstos. O novo governador não se comprometeu a entregar o VLT.

Comente esta notícia