Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

23 de Dezembro de 2014, 21h:15 - A | A

POLÍTICA / O DESASTRE DA COPA

Sem foco, Secopa pode ser despejada de prédio a partir do dia 31 de dezembro, diz secretário de Taques

Das 52 obras de mobilidade urbana propostas, apenas oito foram concluídas.

ANA ADÉLIA JÁCOMO
DA REDAÇÃO



Nomeado como futuro secretário de Projetos Estratégicos, Gustavo Oliveira exibiu dados da Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) em audiência pública realizada nesta segunda-feira (22), em Cuiabá.

De acordo com o levantamento da equipe de transição do governador eleito Pedro Taques (PDT), a pasta tem “funcionários competentes, mas sem foco”.

O diagnóstico de Governo demonstrou que o legado da Copa não é palpável e que a imagem da secretaria perante a população é ruim. Entre os principais problemas ainda há a possibilidade de a Secopa ser despejada do prédio em 31 de dezembro, se não for prorrogado o contrato de locação do edifício, localizado na Avenida Lava Pés, bairro Duque de Caxias.

Das 52 obras de mobilidade urbana propostas, apenas oito foram concluídas, 14 encerradas sem serem totalmente concluídas, 22 em andamento, sete rescindidas e uma não executada. Há problemas em grande parte das obras, sendo necessárias adequações, inclusive nos acabamentos.

Mesmo seis meses após o fim do Mundial, empresas contratadas pela Secopa enfrentam diversos pleitos e pendências, sendo que ainda existem quase 300 desapropriações a concluir, com um passivo na ordem de R$ 26 milhões.

“VLT imaginário”

Das obras previstas para a Copa do Mundo, a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos é a que mais preocupa o novo Governo. O secretário de Taques afirmou que não há qualquer previsão concreta de conclusão da maior obra de mobilidade urbana da Capital.

Mayke Toscano/Secom-MT

Silval -VLT

Silval e as várias promessas de que o VLT ficaria pronto até a Copa do Mundo de 2014


Nenhum trecho operacional está em funcionamento, a não ser para testes realizados na estação próxima ao Aeroporto, em Várzea Grande. No entanto, 72% do valor já foram pago, mesmo que não haja tecnologia apropriada no País para viabilizar a operação do modal.

Obras inacabadas

Os problemas nos prazos e execução das obras nãos e restringem apenas ao VLT, das 52 obras, 22 ainda estão em andamento e em todas há problemas de acabamento e inexistência de cronograma de conclusão. Além disso, todos os contratos precisam ser renovados.

O estádio Arena Pantanal não teve seu entorno concluído e vive um momento de depredação evidente. Leia mais AQUI.

 

Seu custo mensal em manutenção custa aos cofres públicos cerca de R$ 700 mil, e de acordo com a equipe de transição a concessão está em andamento, mas sem data para ocorrer.

RpMT

arena fudida

Após os jogos da Copa do Mundo padrão Fifa, a Arena Pantanal ficou 'abandonada' pelo Governo do Estado

 

Os Cot´s (Centro Oficial de Treinamento) não foram concluídos e apresentam problemas contratuais.

O empresário Robério Garcia, o Bérinho, dono da Engeglobal Construções Ltda, é o responsável pela construção do da UFMT e da Barra do Pari, e de fazer a reforma e ampliação do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande.

 

Ele é pai do deputado federal eleito Fábio Garcia (PSB), que teve Taques e o prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (PSB) como principais apoiadores durante o pleito.

Comente esta notícia

Amanda 23/12/2014

Secopa “funcionários INcompetentes, E TOTALMENTE sem foco”. Fala sério a sociedade já sabe faz é tempo!

1 comentários

1 de 1