Cuiabá, 01 de Dezembro de 2022
logo

27 de Dezembro de 2016, 11h:46 - A | A

POLÍTICA / FICOU PARA 2017

Pressionados, vereadores de Cuiabá retiram da pauta reajuste do IPTU

Após longa reunião os vereadores chegaram ao consenso deixaram a votação para 2017 devido à grande reação contrária da população

RAFAEL DE SOUSA
DA REPORTAGEM



Após horas em reunião, os vereadores de Cuiabá chegaram ao consenso  de não votar em 2016 o reajuste de 30,9% no Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU), que passaria a valer a partir do dia 1° de janeiro.

Contrário à aprovação, o vereador Toninho de Souza (PSD) declarou que a divulgação pela imprensa e a pressão popular foram fundamentais para que a base do prefeito eleito, Emanuel Pinheiro (PMDB) decidisse em adiar a votação da proposta.

Como o projeto foi retirado da pauta na última sessão ordinária (22), o precisaria de 17 votos favoráveis, para voltar à votação em regime de  urgência nesta terça-feira (27).

Até o diálogo desta terça-feira, a previsão era de que o projeto fosse aprovado com até 19 votos, dos 25 vereadores de Cuiabá.

O reajuste do IPTU foi enviado à Câmara ainda em dezembro de 2015 pela Prefeitura de Cuiabá, mas a rejeição popular adiou essa decisão até agora.

A aprovação da proposta estava sendo articulada pelo prefeito eleito Emanuel Pinheiro com os vereadores de sua base eleitoral.

Agora a mudança vai ficar a cargo da próxima legislatura e o aumento do imposto será diretamente ligado à gestão do peemedebista e não à gestão do prefeito Mauro Mendes (PSB), que deixa o comando do Executivo no dia 1° de janeiro.

 

O atual projeto de reajuste do IPTU injetaria cerca de R$ 30 milhões no caixa da Prefeitura de Cuiabá.

Comente esta notícia