Cuiabá, 02 de Fevereiro de 2023
logo

03 de Novembro de 2014, 11h:00 - A | A

POLÍTICA / ARTICULAÇÕES

PR se reúne para alinhar nome de Savi para presidência e traçar 2016

De acordo com Savi, ainda não há consenso quanto a seu nome para assumir a Assembleia.

ANA ADÉLIA JÁCOMO
DA REDAÇÃO



A cúpula do Partido da República (PR) se reúne na tarde desta segunda-feira (3) para traçar metas e estratégias para conquistar a presidência da Assembleia Legislativa de Mato Grosso e organizar os rumos da sigla nas eleições de 2016.

Irão participar do encontro o presidente regional do partido, senador eleito Wellington Fagundes, o secretário-geral e deputado estadual Emanuel Pinheiro e o deputado estadual reeleito Mauro Savi, que busca maioria para assumir a presidência da Casa de Leis.

De acordo com Savi, ainda não há consenso quanto a seu nome para assumir a AL. Ele declarou ao RepórterMT que há divergências dentro do grupo dos 13 que fazem base de apoio a ele, e salientou que 11 deputados tendem a apoiar uma possível chapa encabeçada por Walter Rabello (PSD).

“Não tem consenso ainda. Temos um grupo de 13 e o outro grupo tem 11. Estamos conversando, mas há divergências e convergências que precisam ser respeitadas e a decisão sai em fevereiro. É direito de todos os deputados serem presidente. Por enquanto há indícios de que outros querem ser presidente, mas publicamente só o Walter Rabelo se manifestou”.

O PR foi o partido que elegeu a maior bancada de deputado estadual este ano. São cinco eleitos: Mauro Savi, Emanuel Pinheiro, Jota Barreto, Nininho e Wagner Ramos. Além disso, conquistaram a única cadeira no Senado Federal com a eleição de Wellington. Agora, o grupo planeja aumentar a representatividade nas cidades, com a eleição de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. 

“Este ano saímos fortes, mas com poucos nomes para comandar as eleições de 2016. A estratégia é fortalecer a base, cooptar novos candidatos, porque em algumas cidades o PR não cumpriu o seu papel, então vamos ‘mexer’ de comum acordo com os eleitos. Isso é importante, porque precisamos ter a base forte”, completou Savi.

Comente esta notícia