Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

27 de Dezembro de 2014, 14h:00 - A | A

POLÍTICA / INSEGURANÇA PÚBLICA

“Linha dura” no MPE, Zaque diz que vai combater tráfico e traçar mapa da violência

Um dos pontos que mais causa preocupação seria o fato de o Estado fazer fronteira com a Bolívia, um dos maiores produtores de cocaína do mundo.

ANA ADÉLIA JÁCOMO
DA REDAÇÃO



O promotor de Justiça Mauro Zaque será o novo secretário de Segurança Pública a partir de 1 de janeiro de 2015. Convidado pelo governador eleito Pedro Taques (PDB), ele afirmou que seu primeiro ato à frente da pasta será realizar um amplo levantamento traçando o “mapa da violência” em Mato Grosso.

Zaque é considerado "linha dura" no Ministério Público Estadual (MPE). Ele já comandou o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e atuou ao lado de Taques, que era procurador no Ministério Público Federal, na Operação Arca de Noé, que resultou na prisão do ex-chefe do crime organizado em Mato Grosso, João Arcanjo Ribeiro.

Para ele, Mato Grosso precisa de uma estratégia de Segurança Pública, para que haja um “raio-x” das ocorrências, locais com maiores índices de violências e suas razões. A meta de Taques é “enxugar o orçamento”, mas de acordo com Zaque, a pasta não será onerada em sua força de trabalho.

“A meta da Segurança Pública também é enxugar o orçamento, mas quando falamos nisso o que o governador diz que é que temos que tirar [orçamento] de onde não é tão urgente e estratégico, e direcionar para onde realmente precisa. A segurança é, sem sombra de dúvidas, um ponto que todos reclamam e sentem que precisa ser implementada”, avaliou.

Zaque não revelou dados, mas disse que já está traçando várias metas, a primeira seria um profundo levantamento da situação. Um dos pontos que mais causa preocupação, de acordo com ele, seria o fato de o Estado fazer fronteira com a Bolívia, um dos maiores produtores de cocaína do mundo.

“São 700 km de fronteira seca com a Bolívia. É uma fronteira com um país produtor de cocaína. Nós sabemos que é a rota do tráfico, do roubo de carros e de cargas. O governo não se omite e vamos pensar em estratégias para as cidades em região de fronteira, em como implementar e desenvolver a segurança pública com foco especifico na criminalidade organizada nessas regiões”, afirmou ele.

Crimes em alta na Capital

Dados divulgados pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp/MT), demonstram que o número de roubos praticados em Cuiabá cresceu 29%, entre janeiro a novembro deste ano. Foram 5.171 mil assaltos, contra 4.018 crimes da modalidade em 2013. Entretanto, os furtos caíram 13%. No ano passado foram praticados somente na Capital, 10.138 mil furtos, contra 8.849 neste ano.

O roubo seguido de morte também registrou aumento em 2014. Foram 13 pessoas assassinadas em assaltos, crescimento de 18%, com relação ao mesmo período do ano passado, onde 11 perderam a vida nessa modalidade de crime.

Comente esta notícia