Cuiabá, 03 de Fevereiro de 2023
logo

31 de Dezembro de 2014, 16h:55 - A | A

POLÍCIA / EXCLUSIVO

Sobrevivente de tragédia revela detalhes de atropelamento que matou empresário na estrada de Chapada

Assim que soube da morte, Diogo Azevedo relatou que chorou muito pela perda do amigo.

ABDALLA ZAROUR
DA REDAÇÃO



Diogo Azevedo, de 32 anos, é analista de sistemas e um dos sobreviventes do acidente que matou o empresário e também ciclista profissional, José Eduardo de Carvalho, de 59 anos.

Azevedo está internado em observação, por 8h, no Hospital Santa Rosa, em Cuiabá. Ele teve cortes pelo corpo e várias escoriações, mas não corre risco de morte.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Em conversa exclusiva com RepórterMT, Azevedo revela como foi o acidente que acabou tirando a vida do seu amigo.

Segundo Azevedo, ele e Carvalho e mais o outro ciclista, Valdeci Moraes, que não teve ferimentos no acidente, pegaram a rodovia Emanuel Pinheiro, MT 251, com destino a estrada de Manso onde estavam treinando para duas competições: uma nacional e a outra internacional, na França. O treino de hoje (31) seria de 80 km. A prova na França aconteceria em julho de 2015, chamada Le´ Tape.

Assim que estavam a 1km do trevo do Coxipó do Ouro, ele disse que sentiu um tranco. "Do nada senti o tranco da batida do carro, e eu esta a 40 km/h", comentou.

Mas ele relata que estavam no acostamento da rodovia e ele era o do meio. A sequência seria esta: Carvalho, Azevedo e Moraes.

Com isso, o veículo atingiu primeiro Carvalho que foi arremessado e bateu com a cabeça. "Eu fiquei desacordado por 30 segundos. Eu fui para cima e bati as costas", observou. Azevedo também comentou que o motorista do carro não chegou a frear antes de atingir o grupo.

Assim que acordou, viu que Carvalho ainda estava vivo. "Ele estava desacordado, mas tinha pulso", apontou. Várias pessoas que passavam pelo local pararam para ajudar.

Ele disse que Valdeci começou a fazer massagem cardíaca em Carvalho. "Pareceu começar a respirar. 5 minutos depois o Samu chegou. Eles (socorristas) foram direto nele, mas logo vieram me atender. E quando estava na ambulância, o enfermeiro socorrista me disse que ja havia falecido", relatou.

Assim que soube da morte, Diogo Azevedo contou que chorou muito pela perda do amigo. O motorista ainda não foi localizado. Ele também não teria prestado socorro às vítimas.

O corpo de Carvalho começa a ser velado a partir das 17h, na Capela Jardins, sala Orquídeas, em Cuiabá. O enterro deve ser realizado nesta quinta-feira (1/1/2015). O local e o horário ainda não foram definidos.

Diogo Azevedo disse que deve ter alta ainda hoje. 

Leia mais aqui e aqui.

 

 

 

 

Comente esta notícia