facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

18 de Junho de 2024, 11h:00 - A | A

POLÍCIA / DETIDO EM SÃO PAULO

Saiba quem é o produtor artístico alvo de operação por golpe de R$ 300 mil aplicado em modelo de MT

O homem prometia ensaios fotográficos e contratos publicitários internacionais.

THIAGO STOFEL
REPÓRTERMT



O artista paulista Alexandre Monteiro, conhecido como “Alê Monteiro”, foi preso na manhã desta terça-feira (18), durante a “Operação Fashion Scam”, deflagrada pela Polícia Civil. O homem se apresentava como diretor artístico para aplicar golpes, prometendo ensaios fotográficos e contratos publicitários internacionais.

LEIA MAIS - Polícia mira produtor artístico que deu golpe de R$ 300 mil em modelo com promessa de fama mundial 

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

As investigações se iniciaram em janeiro deste ano, quando uma vítima que sofreu um golpe de R$ 300 mil, procurou a delegacia e denunciou o artista na Delegacia Especializada de Estelionato e Outras Fraudes.

Durante o período em que conversaram, o suspeito demonstrou vasto conhecimento e disse que era vinculado a importantes revistas e agências de publicidade internacionais.

Após algum tempo as tratativas passaram a ser realizadas pelo WhatsApp, quando o suspeito passou a propor a realização de ensaios fotográficos para revistas internacionais, solicitando à vítima transferências de valores para pagamento de despesas com fotógrafos, maquiadores e outros profissionais que estariam envolvidos.

Acreditando nas promessas feitas pelo suposto diretor artístico, a vítima realizou diversas transferências de valores ao suspeito.

Com base nas informações passadas pela vítima, o delegado de polícia Marcelo Martins Torhacs instaurou inquérito policial para apuração dos fatos, sendo representado pelas ordens de prisão contra o investigado, que foram deferidas pela Justiça. As buscas, coordenadas pelo delegado Vinícius Nazário, resultaram na apreensão de aparelhos celulares, notebook e tablet.

Segundo as investigações, o suspeito já responde por outros crimes semelhantes, sendo encontradas matérias jornalísticas, em que ele agiu de modo semelhante, causando prejuízos expressivos a outras vítimas.

Comente esta notícia