Cuiabá, 02 de Fevereiro de 2023
logo

11 de Dezembro de 2014, 15h:28 - A | A

POLÍCIA / TERRA DE NINGUÉM

Horas após discussão, vizinho invade casa e mata rival em Várzea Grande

O motivo do crime seria uma dívida de drogas entre ambas as partes. No entanto, a hipótese será investigada pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá.

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



Renan Taylor Fernandes de Oliveira, de 24 anos, morreu com tiros na cabeça, agora há pouco, no bairro 13 de Setembro, região periférica de Várzea Grande.

O vizinho dele, identificado apenas como Gylson Correia, de 39 anos, foi apontado como autor do crime. O suspeito está foragido.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O motivo do crime seria uma dívida de drogas entre ambas as partes. No entanto, a hipótese será investigada pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cuiabá.

Aos policiais militares do 4º Batalhão, que atenderam a ocorrência, uma testemunha disse que na manhã desta quinta-feira (11), Renan teria discutido com Gylson na frente da casa, na Rua Sorriso, quadra 70.

Em seguida, o suspeito teria finalizado o bate-boca e ido embora. No entanto, voltou horas depois e invadiu a casa de Renan, o matando com vários tiros na área do fundo.

De acordo com a testemunha, Gylson fugiu a pé e entrou em um matagal. Os policiais do 4º BPM ainda fizeram entraram na área de mata para caçar o suspeito, mas não o localizaram.

Já o corpo de Renan foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para fazer exame de necropsia.

DEZEMBRO MACABRO

Esse é o 10º homicídio registrado no mês, em Várzea Grande. Na noite de terça-feira (9), a professora de educação básica, Lucimar Delgado Moraes, de 48 anos, foi assassinada a golpes de faca, na casa dela, no bairro Construmat.

O ex-marido dela, Gean Gonçalo de Carvalho Ramos, de 27 anos, é acusado de ter cometido o crime, após a vítima negar se reconciliar com ele. Os dois estariam separados há três meses. Horas depois do crime, o suspeito foi preso na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Morada do Ouro, na capital.

Reprodução TVCA

professora

Professora foi morta pelo ex-marido, apos negar reconciliação.


Outro crime que chocou a população várzea-grandense foi o assassinato do cabo da PM, Marco Antônio, morto no dia 3, no bairro da Manga. Ele flagrou um assalto em uma loja de revenda de carros e trocou tiros com dois bandidos.

No entanto, foi atingido no lado esquerdo do peito. O policial foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) ao Pronto Socorro de Cuiabá, mas morreu no box de emergência.

Divulgação

pm

Cabo da PM foi atingido no peito e morreu no PS de Cuiabá.

EXECUÇÕES

Dois dias após a morte do cabo da PM, quatro homens, envolvidos com a criminalidade, foram executados na cidade. Em um dos casos, Leandro Coiçare, de 18 anos e Maycon Macedo da Silva, de 19 anos, foram assassinados enquanto trafegavam em uma moto, no bairro Sete de Setembro.

Reprodução

motoqueiros

Os dois foram mortos enquanto trafegavam na moto.

Testemunhas disseram que homens encapuzados em um Honda Civi de cor preta, quem teriam praticado o crime.

Horas depois, o ex-presídiário Wanderlei Moraes da Costa, de 24 anos, foi morto dentro da casa, no bairro São Simão.

Moradores informaram que um carro também de cor preta, mas modelo não identificado, parou na frente da casa. Quatro homens encapuzados saíram do veículo e invadiram a residência, executando o criminoso logo em seguida. 

A DHPP também investiga os crimes, mas ainda não prendeu ninguém.

Comente esta notícia