Cuiabá, 30 de Janeiro de 2023
logo

26 de Outubro de 2014, 09h:48 - A | A

POLÍCIA / VIOLÊNCIA SEM LIMITES

Homem é sequestrado, leva cinco tiros e tem o corpo parcialmente queimado

Edivan foi baleado três vezes na cabeça, em um dos braços e no peito. Com o corpo ainda em chamas, a vítima conseguiu chamar a atenção dos motoristas que o resgataram. Eles acionaram o SAMU e a PM.

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



Um homen identificado apenas como Edivan levou cinco tiros e teve o corpo parcialmente queiamdo por quatro homens, na Comunidade Coqueiro, região do Rodoanel, em Cuiabá. O sequestro e tentativa de homicídio ocorreu na noite deste sábado (25). Até a manhã deste domingo (26), ninguém havia sido preso.

Conforme informações do 10º Batalhão da Polícia Militar, a vítima teria sido abordada por quatro homens em um carro, próximo a Rodoviária de Cuiabá, no bairro Consil. Após ser obrigado a entrar no veículo, os bandidos o levaram até uma agência da Caixa Ecônomica Federal, na região central da cidade. 

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A vítima foi obrigada a passar a senha do cartão da conta bancária para que os criminosos sacassem dinheiro. Em seguida, os bandidos levaram o homem até uma região deserta da Comunidade Coqueiro, o balearam cinco vezes, atearam fogo no seu corpo e fugiram no carro em alta velocidade.

Edivan foi baleado três vezes na cabeça, em um dos braços e no peito. Com o corpo ainda em chamas, a vítima conseguiu chamar a atenção dos motoristas, que o resgataram. Eles acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e a PM.

Ainda no local, a vítima conseguiu relatar o caso aos PM's. Ele ainda informou que um dos bandidos seria um conhecido. No entanto, não conseguiu passar o nome do criminoso.

Em seguida,  a vítima foi encaminha pela equipe médica ao Pronto Socorro de Cuiabá, onde passou pelo box de emergência e segue internado em estado grave. A Polícia Civil está investigando o caso.

 

Comente esta notícia

Horrorizada 26/10/2014

Gostaria de saber dos nossos Governantes se eles, seus familiares e amigos não sentem essa insegurança que estamos vivendo. Não dá mais pra sair de casa nessas situações.

1 comentários

1 de 1