facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 13 de Julho de 2024
13 de Julho de 2024

20 de Junho de 2024, 07h:00 - A | A

POLÍCIA / GUERRA DE FACÇÕES

CV está perdendo poder, influência e rotas do tráfico para o PCC em Mato Grosso, aponta Atlas de Violência

O estudo ainda mostra que o município de Sorriso se tornou o 7º mais violento do país por conta da guerra entre as organizações criminosas.

THIAGO STOFEL
REPÓRTERMT



Dados demonstrados no Atlas de Violência 2024 apontam que a facção criminosa Comando Vermelho está perdendo forças nas principais rotas de drogas de Mato Grosso para a organização rival, o Primeiro Comando da Capital (PCC). O documento ainda destaca que por conta dessa disputa, o número de homicídios na região Norte do Estado disparou.

Historicamente, o CV sempre atuou de forma predominante no território mato-grossense e dominou todas as rotas do tráfico de drogas, principalmente nas regiões de fronteira com a Bolívia e Paraguai.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Porém, isso mudou desde o fim de 2022, quando alguns membros do Comando Vermelho, que estavam descontentes com a liderança da facção, decidiram deixar a organização e formaram a Tropa Castelar, que acabou se aliando ao PCC, e atua principalmente na região do município de Sorriso.

Com isso, o índice de homicídios na região disparou, chegando a colocar o município como o 7º mais violento do país.

“A hegemonia do CV no estado – principalmente na zona de fronteira com a Bolívia, tendo a cidade de Cáceres como a principal referência – foi ameaçada com a entrada do PCC na região do meio-norte. Esse grupo sempre atuou nessa região, mas não tinha o domínio da rota rodoviária para escoar a droga para São Paulo e Paraná, que passa por Sorriso (MT). Devido aos conflitos, membros do CV deixaram a facção e criaram a Tropa Castelar, que se aliou ao PCC no final do ano. Essa dinâmica levou o município de Sorriso à sétima colocação no ranking de taxa de homicídios (entre municípios com mais de cem mil habitantes) e trouxe altíssimos índices também para Aripuanã e Colniza, todos no Norte-Matogrossense” diz trecho do documento.

A aliança dos ex-Comando Vermelho com o PCC acabou resultando um enorme poder para a facção paulista.

Desde então, o estado de Mato Grosso vem sofrendo com uma onda de execuções, principalmente nas cidades fronteiriças, onde são conhecidos por serem região da “Rota do Tráfico”.

Comente esta notícia