Cuiabá, 31 de Janeiro de 2023
logo

01 de Dezembro de 2014, 18h:47 - A | A

POLÍCIA / NOVEMBRO VERMELHO

Com 53 assassinatos, mês é o mais violento de 2014 na Grande Cuiabá

Desse total, 27 crimes foram registrados na capital. O mês foi considerado o mais violento do ano, ultrapassando abril, que teve 51 homicídios, sendo 23 ocorridos em Várzea Grande.

JOÃO RIBEIRO
DA REDAÇÃO



A Grande Cuiabá registrou 53 assassinatos em novembro. Desse total, 27 crimes foram registrados na capital. O mês foi considerado o mais violento do ano, ultrapassando abril, que teve 51 homicídios, sendo 23 ocorridos em Várzea Grande.

Segundo informações da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a maioria desses crimes tinham vítimas envolvidas com a criminalidade. Usuários de drogas foram executados diante de dívidas com traficantes. Ex-presidiários também foram alvos dos homicídios em acerto de contas com bandidos rivais, como o caso de Anderson Nascimento Gonçalo, que foi assassinado com quatro tiros, no dia 13, no bairro Morada do Ouro, na capital.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Testemunhas disseram ao 3º Batalhão da Polícia Militar que Anderson estava subindo na cabine de um caminhão para analisar o veículo que seria comprado, quando foi surpreendido pelo autor do crime, que o matou e depois fugiu em uma caminhonete dirigida por um comparsa.

A princípio, os policiais encontraram no bolso da calça da vítima uma carteira de identidade com outro nome. No entanto, perceberam que o documento era falso. Com a identidade real, a DHPP descobriu que Anderson já havia sido preso em agosto de 2013 na operação Abadom, deflagrada pela Polícia Civil. 

De acordo com a denúncia, oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE), Anderson seria integrante de uma quadrilha supostamente comandada pelo ex-delegado João Bosco, a esposa dele, a investigadora Gláucia Cristina e outros envolvidos no esquema. 

Na denúncia, o MPE afirmou que os policiais se associaram a uma rede de traficantes que forneciam pasta-base de cocaína a várias bocas de fumo (ponto de venda e uso de drogas), em Várzea Grande.

Reprodução

morto

Anderson foi morto com quatro tiros em plena luz do dia.


SE DERAM MAL

Novembro ainda teve ocorrências onde bandidos foram mortos pela Polícia Militar e até por vítimas, que reagiram a tentativa de assalto.

Um dos mortos foi Rivaldo Azevedo da Cruz, de 18 anos, que morreu no Pronto-Socorro de Cuiabá, no dia 14, baleado na costa e na perna esquerda.

O suspeito junto com o comparsa, Igor de Barros Queiroz, de 23 anos, tentou fazer um ‘arrastão’ em uma festa realizada em uma residência, do bairro Campo Elizios, na capital, quando foram recebidos a tiros, por um homem não identificado.

Na tentativa de assalto, Rivaldo e Igor apontaram a arma para os convidados ainda do lado de fora da residência. Como o portão da casa é aberto, as vítimas foram obrigadas a abrir a grade. Em seguida, eles entraram e foram baleados no mesmo momento.

A Polícia Militar foi acionada. Os policiais chegaram ao local e encontram Rivaldo no chão ensanguentado, com um revólver calibre 32. Ele foi baleado nas costas e na perna esquerda. Já Igor, também caído, ao lado de um revólver calibre 22, foi atingido no peito, orelha e perna esquerda.

Divulgação

bandidos

Os dois assaltantes baleados por um homem não identificado.

 

Já no dia 25, um policial militar do Batalhão de Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) matou a tiros Douglas Vinícius de Jesus Moraes, de 19 anos. O suspeito teria tentado pegar uma arma na cintura, durante a abordagem do PM.

Um dia antes, ele teria participado de um roubo à loja Edson Peças, na Avenida Prainha, região centra de Cuiabá. Ele foi identificado pelas imagens do circuito interno de segurança e localizado.

No esconderijo, um PM à paisana se identificou e deu voz de prisão ao bandido. Porém, Douglas sacou uma arma. No mesmo momento, o PM atirou no peito dele.

O suspeito foi levado ao Pronto-Socorro de Várzea Grande, mas morreu no box de emergência.

divulgação

Rotam

PM da Rotam matou assaltante que tentou sacar arma durante abordagem.

ANO SANGRENTO

As duas cidades já registraram somente neste ano 426 homicídios. com isso, 2014 já é o ano mais violento desde 2000, quando a Grande Cuiabá somou 386 assassinatos.

A DHPP informou que Várzea Grande continua sendo a cidade mais violenta de Mato Grosso, diante da proporção de habitantes que têm e os números de homicídios registrados.

Neste ano, a cidade industrial, no bairro São Mateus, foi palco de uma chacina que deixou cinco pessoas mortas, na noite do dia 22 de fevereiro. Na ocasião, homens encapuzados invadiram um bar e colocaram todos os clientes e funcionários de frente para a parede. 

Em seguida, atiraram em todos. Anderson José Leite da Silva, Gonçalo Vaz de Campos, Douglas Campos Fernandes, Jean de Assunção Pedroso, Sebastião Carlos Pinho morreram. 

Reprodução

chacina

Cinco foram executados em chacina no bairro São Mateus em VG.

Comente esta notícia