facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 21 de Junho de 2024
21 de Junho de 2024

18 de Novembro de 2022, 16h:53 - A | A

POLÍCIA / PAIS SÃO INVESTIGADOS

Bebê de 2 meses morre com sinais de espancamento após 5 dias na UTI

O bebê tinha lesões no braço e no rosto, apontando sinais de negligência e maus-tratos

CHRISTINNY DOS SANTOS
DO REPÓRTER MT



Um bebê de dois meses morreu na terça-feira (15), após cinco dias internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), em Tangará da Serra (252 km de Cuiabá). A suspeita é de que Pietro tenha sido espancado por familiares. Uma oitiva com os pais da criança será realizada na próxima segunda-feira (21).

Conforme a Polícia Civil, Pietro deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Sinop (479 km de Cuiabá), na quinta-feira (10), apresentando febre, asma, e quase sem respiração. O bebê tinha, ainda, lesões no braço e no rosto, apontando sinais de negligência e maus-tratos.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Levado pela mãe ao hospital, uma adolescente de 16 anos, o bebê precisou ser intubado enquanto aguardava uma vaga de UTI pediátrica. A jovem disse que o bebê teria se engasgado, mas ao ser questionada sobre os hematomas, informou que o irmão, de 4 anos, teria agredido Pietro.

Ao programa 'Balanço Sinop', da TV Cidade Verde, a prima do pai de Pietro informou que a mãe do bebê saiu de casa e o deixou com o companheiro, de 18 anos. Ao retornar, a jovem encontrou a criança mole, quase desmaiada em uma rede.

Em nota, a Prefeitura de Sinop informou que o Conselho Tutelar foi acionado pela unidade de saúde, ainda na noite de admissão do bebê, e um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Polícia Civil.

O corpo de Pietro foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) onde passará por exame de necropsia. Até o momento, o laudo médico não foi divulgado.

A Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, Criança e Idoso (DEDMCI) instaurou investigação para apurar a morte da criança.

Comente esta notícia