facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 14 de Julho de 2024
14 de Julho de 2024

03 de Outubro de 2017, 10h:13 - A | A

PODERES / PIRÂMIDE FINANCEIRA

Juiz condena Telexfree a devolver R$ 33 mil a casal cuiabano

O casal financiou o dinheiro pelo Banco do Brasil para investir no esquema fraudulento um pouco antes da Justiça do Acre classificar a pirâmide ilegal.

RAUL BRADOCK
DA REDAÇÂO



A empresa Ympactus Comercial Ltda (Voip 99 Telexfree) foi condenada a devolver R$ 33,2 mil reais investidos por um casal de Cuiabá em 2013. A decisão é do juiz Luiz Octávio Sabóia Ribeiro, da 3ª Vara Cível da capital, que classificou o esquema como uma ‘armadilha financeira’. A condenação é do último dia 25 de setembro e cabe recurso.

Conforme a decisão, o casal A.P.A. e P.S.A foram prejudicados pelo esquema conhecido como pirâmide financeira. As vítimas chegaram a realizar um empréstimo bancário de R$ 27 mil para investir no negócio, atraídos pela promessa de dinheiro rápido e fácil.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Perceberam ter caído num armadilha comercial, quando tomaram conhecimento da decisão proferida nos autos da Ação Cautelar Preparatória, em trâmite perante a 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco/AC, no bojo da qual foi concedida liminar bloqueando todas as contas da requerida”, discorre a decisão.

Frente ao bloqueio de todas as contas da Telexfree, o casal entrou com um ação requerendo a quebra de contrato por parte da empresa e o ressarcimento do dinheiro aplicado no esquema fraudulento.

Os advogados da Telexfree argumentaram que a empresa agiu de boa-fé, cumprindo todos os requisitos contratuais, agindo dentro da legalidade e afirmando que a ação dos cuiabanos não tem legitimidade.

Consta na decisão que o casal adquiriu 11 contas Family e apresentou os boletos em juízo, comprovando o pagamento de R$ 33.273,75. Mas os esperados retornos financeiros foram frestados pela decisão da justiça do Acre.

Todavia, antes mesmo que pudessem auferir os prometidos ganhos financeiros, seus planos foram frustrados pelo bloqueio das contas bancárias e demais bens da empresa ré por ordem judicial emanada nos autos da Ação Civil, em trâmite na 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco/AC, movida pelo Ministério Público daquele Estado”, explica o magistrado na decisão.

Conforme a decisão, a Telexfree foi taxada como um esquema de pirâmide financeira – uma prática considerada ilegal no Brasil.

Com base na decisão da Justiça em Rio Branco, Saboia Ribeiro condenou a empresa “YMPACTUS COMERCIAL LTDA. (TELEXFREE) a promover o ressarcimento do valor de R$ 33.273,75 (trinta e três mil duzentos e setenta e três reais e setenta e cinco centavos), corrigidos monetariamente pelo INPC, desde os seus desembolsos, e acrescidos de juros de mora de 1% ao mês, a partir da data da citação”.

A empresa também deve pagar todas as despesas processuais e os honorários advocatícios – equivalentes a 10% do valor da condenação. 

Comente esta notícia

ROBERTO ALENCAR DE SOUZA 03/10/2017

Dinheiro rápido e fácil !? Não levem nenhum saco de viagem, nem túnica extra, nem sandálias, nem bordão; pois o trabalhador é digno do seu sustento. Mt.10:10 Todo trabalho árduo traz proveito, mas o só falar leva à pobreza. Pv.14:23 As mãos preguiçosas empobrecem o homem, porém as mãos diligentes lhe trazem riqueza. Pv: 10:4

positivo
0
negativo
0

1 comentários

1 de 1