facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Julho de 2024
19 de Julho de 2024

29 de Novembro de 2017, 09h:47 - A | A

PODERES / LIBERAÇÃO DE R$ 497 MILHÕES

Bancada de MT pressiona pela votação do FEX nesta quarta-feira

A previsão era de que a Medida Provisória do FEX fosse votada na terça-feira (28), porém, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, retirou o projeto da pauta de votações.

CAROL SANFORD
DA REDAÇÃO



Os deputados federais de Mato Grosso estão pressionando o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), para que seja colocada em votação, ainda nesta quarta-feira (29), a Medida Provisória do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX).

A insistência é porque a partir de aprovado, na Câmara e no Senado, o FEX representa a liberação de R$ 497 milhões para o Estado de Mato Grosso. O montante é considerado essencial pelo Governo para colocar as contas em dia.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

A previsão era de que a Medida Provisória fosse votada na terça-feira (28), porém, Maia retirou o projeto da pauta de votações da Câmara.

“O presidente assumiu um compromisso conosco de colocar o FEX em votação ainda nesta quarta. É muito importante que esses recursos cheguem logo para que Mato Grosso termine o ano de forma tranquila”, disse o deputado federal Fábio Garcia.

Sendo aprovado, o projeto segue para apreciação do Senado, onde os senadores de Mato Grosso já preparam outro requerimento, também, em regime de urgência, solicitando que o pagamento seja liberado em dezembro.

Depois de ser sancionado pelo presidente Michel Temer, a União irá pagar mais de R$ 1,9 bilhão aos Estados que possui o direito, destes quase meio milhão será destinado a Mato Grosso.

O Governo do Estado aguarda repasse, ansiosamente, para quitar a folha salarial de dezembro, décimo terceiro dos comissionados, repasse aos poderes e à Saúde.

Do valor total a ser repassado ao Estado, 25% será destinado aos municípios.

Comente esta notícia