facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

20 de Setembro de 2017, 14h:42 - A | A

PODERES / VEJA FOTOS E VÍDEO

Arcanjo aparece debilitado ao depor contra ex-deputado nesta quarta

Bastante magro, a aparência debilitada de João Arcanjo Ribeiro chamou a atenção dos que compareceram à audiência.

CAROL SANFORD
RAFAEL DE SOUSA



O ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro chegou à sede da Justiça Federal, nesta quarta-feira (20), para prestar depoimento ao juiz da 7ª Vara Federal Criminal, Francisco Antônio Moura, escoltado por dez policiais federais. É a primeira aparição de Arcanjo após a transferência do presídio federal de Mossoró (RN) para a Penitenciária Central do Estado (PCE).

Bastante magro, a aparência debilitada de Arcanjo chamou a atenção dos jornalistas. Ele é testemunha de acusação na ação em que o ex-deputado Eliene Lima é acusado de lavagem de dinheiro e ocultação de bens.  

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Eliene foi acusado de ter participado de esquema de desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa. O ex-parlamentar, no entanto, disse que teria pego um cheque de R$ 60 mil na agência de fomento Confiança para abrir um comércio de madeiras em Cuiabá e negou fazer parte do esquema.

“Pelo que eu estou entendendo é sobre um cheque que eu peguei emprestado em uma agência de fomento que eu não me lembro bem o ano e houve uma denúncia de que coincidia com uma movimentação que a Assembleia fazia com a agência”, disse ele à imprensa, antes de entrar para audiência com o juiz federal.

Lavagem de dinheiro

Eliene, que exerceu mandatos de deputado estadual entre os anos de 1995 e 2007, é acusado de lavagem de dinheiro com recursos públicos, supostamente desviados da Assembleia Legislativa.

Ele teria aderido de forma consciente e voluntária ao esquema criminoso criado pelo ex-presidente da Casa de Leis, José Riva e pelo ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Humberto Bosaipo, quando foram deputados.

O esquema teria ocorrido por meio de factoring, cujo proprietário era o ex-bicheiro. O fato veio à tona a partir da deflagração da Operação Arca de Noé, em 2002.

Mensalinho

Em março deste ano, em depoimento prestado na 7ª Vara Criminal, nos autos de outra ação penal, Riva confessou que Eliene estava entre os deputados que recebiam "mensalinhos" com valores que começaram em R$ 15 mil e terminaram em R$ 25 mil.

Veja o vídeo da chegada de Arcanjo

Álbum de fotos

RpMT/Reprodução

RpMT/Reprodução

RpMT/Reprodução

RpMT/Reprodução

RpMT/Reprodução

Comente esta notícia