Cuiabá, 20 de Agosto de 2022
logo

24 de Dezembro de 2017, 10h:04 - A | A

PAPO RETO / COBRANÇA DE R$ 230 MIL

'Não vou dar dinheiro para sair de partido', diz Russi sobre dízimo do PSB

DA REDAÇÃO



Na fila dos insatisfeitos que querem deixar o PSB, o secretário da Casa Civil, Max Russi, que é deputado licenciado, declarou à imprensa que não vai pagar o dízimo partidário cobrado pelo presidente, deputado federal Valtenir Pereira.

“Não vou dar dinheiro para sair de partido. Vou esperar março e saio”, disse Russi.

O pagamento das mensalidades em atraso, que somam R$ 230 mil, é a condição imposta por Valtenir para permitir que deputados deixem o PSB.

O Estatuto do PSB determina que ocupantes de cargos eletivos e comissionados, indicados pelo partido, repassem 10% dos salários à legenda. No caso dos deputados estaduais, o valor a ser repassado é de R$ 2,5 mil, uma vez que o salário dos parlamentares é de R$ 25 mil.

 

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

>>> Receba notícias no Telegram e fique bem informado

Comente esta notícia

Davi 24/12/2017

Caloteiro, deve ter aprendido com o Taques. Até o Botelho vai pagar. Qd entrou no PSB sabia que era assim.

alexandre 24/12/2017

isso já aconteceu no PR a justiça eleitoral tomou o dinheiro e ainda multou, mas não devoveu pra quem foi descontado. Paritdo dinheirista brasileiro

2 comentários

1 de 1