Cuiabá, 30 de Janeiro de 2023
logo

21 de Novembro de 2014, 10h:45 - A | A

OBRAS DA COPA / VEJA FOTOS

A 40 dias do fim do governo, obra do VLT põe 'formigueiro' de operários na Feb e trânsito para

Pelas imagens feitas por nossa equipe do RepórterMT, o trecho mais caótico é o que está em frente à loja Havan. Como o trabalho é feito no meio do canteiro central, as duas pistas (nos dois sentidos) ficam estreitas

DA REDAÇÃO



Faltando exatamente 40 dias para que o trecho entre o Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, até a ponte Júlio Muller, já em Cuiabá, esteja concluído, o que se pode ser ver na manhã desta sexta-feira (21), ao longo da Avenida da Feb, é um verdadeiro formigueiro de operários do Consórcio VLT trabalhando para tentar concluir parte da obra dentro desse prazo.

Por causa disso, muita confusão e trânsito engarrafado ao longo dessa Avenida.

Pelas imagens feitas por nossa equipe do RepórterMT, o trecho mais caótico é o que está em frente à loja Havan. Como o trabalho é feito no meio do canteiro central, as duas pistas (nos dois sentidos) ficam estreitas, até mesmo por causa dos operários que acabam vez ou outra, ficando na pista.Por isso, os motoristas devem redobrar os cuidados para evitar acidentes. 

TRECHO INTERROMPIDO

Quem vai no sentido Aeroporto, subindo a FEB, tem de ter muita paciência. Próximo da Loja do Shopping Fórmula, a Avenida está bloqueada e o motorista tem de entrar à direita para seguir em frente. Em alguns momentos, o trânsito praticamente trava. 

RepórterMT

IMG-20141121-WA0025.jpg

No sentido Aeroporto, Avenida da Feb é bloqueada e motoristas devem pegar desvio. Por causa disso, o trânsito trava a todo momento.

A obra do VLT é a mais cara e também a mais polêmica da Copa do Mundo. Mesmo com esse prazo de 40 dias para que ela fique pronta até a Ponte Júlio Muller, dificilmente o Consórcio VLT vai conseguir, mais uma vez, cumprir o prazo.

O VLT que está custando em torno de R$ 1,477 bilhão aos cofres públicos tem 22 km de trilhos e liga dois pontos de Cuiabá. Um até o ponto final do CPA e outro que segue até o Tijucal.

Nesta quarta-feira (19), o MPF e o MPE entraram com uma ação de danos morais contra Silval Barbosa (PMDB), o secretário da Secopa, Maurício Guimarães, e o próprio Consórcio em R$ 148 milhões. Segundo os promotores, a ação é feita porque o governo e Consórcio não conseguiram terminar a tempo o Modal, que era para a Copa do Mundo.

O VLT está sendo construído sobre o regime RDC, tipo de licitação que deveria ser usada até a Copa. Outro dado curioso e que reforçou a ação feita pelos dois Ministérios, é que Silval já sabia que a obra não ficaria pronta para a Copa.

Em uma entrevista gravada por RepórterMT, no dia 11 de junho deste ano, durante visista à obra do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, Silval fala claramente que percebeu que o VLT não estaria pronto a tempo da Copa,  quando começaram os trabalhos da obra, e que o trem só ficaria concluso dentro de uma perspectiva de quatro anos.

 

 

Álbum de fotos

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

RepórterMT

Comente esta notícia

pedro carpaxo 28/11/2014

FORMIGUEIRO AGORA QUE COMEÇOU A CHUVA, VEJAM AS FOTOS DOS OPERARIOS 2 TRABALHAM E 6 FICAM OLHANDO

1 comentários

1 de 1