Cuiabá, 12 de Agosto de 2022
logo

25 de Dezembro de 2017, 10h:28 - A | A

GERAL / AGULHAS NA CABEÇA

Justiça solta mãe que entregou bebê para ritual de magia negra

Com a decisão, a mulher voltou a morar com a criança e a mãe dela, no município de São Pedro da Cipa, onde ocorreu o crime.

DA REDAÇÃO



Um ano depois do caso que chocou a população de Mato Grosso, pelo fato de os pais torturarem um bebê em ritual de magia negra, a Justiça mandou soltar a mulher identificada como C.S.S., acusada de introduzir três agulhas no corpo da própria filha, A.L.J.S, à época, com três meses de idade.

O caso ocorreu em dezembro de 2016, no município de São Pedro da Cipa (a 138 quilômetros ao Sul de Cuiabá). Com a decisão, que ocorreu há um mês, a mulher voltou a morar com a criança e a mãe dela, que havia ficado com a guarda da menina, após ela passar por diversos procedimentos cirúrgicos.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Até hoje, a menina com um pouco mais de um ano de idade, precisa de acompanhamento médico e faz uso de medicamentos prescritos porque ainda não foi possível a retirada das agulhas que estão alojadas na cabeça e abdômen dela. Os remédios são usados para evitar dores, porém os médicos avaliam que a menina está com boa saúde.

Além da mãe C.S.S, que no período do crime era menor de idade, todos os acusados também estão soltos, já que o pai da criança, Wellinton de Jesus Costa, 28 anos, e os outros três teriam participação no crime.

Wellinton é acusado de receber R$ 250 para autorizar o ritual com a filha. Ele cumpre medidas cautelares - como o uso de tornozeleira eletrônica - e deve ir à júri popular no próximo ano.

A responsável por conduzir o ritual é Iraci Queiroz dos Santos, 42 anos, conhecida como “Baiana”. Débora Queiroz dos Santos e Ricardo César dos Santos, filha e genro de "Baiana", também são acusado de participação no crime.

Leia mais

Bebê recebe alta e é entregue à avó materna, mas continua com agulhas na cabeça

Médicos conseguem retirar uma agulha do corpo de bebê de 3 meses

Polícia Civil apreende mãe que entregou bebê para ritual com agulhas

Quatro são presos por torturar bebê com agulhas em ritual de magia negra

 

Álbum de fotos

Divulgação

Divulgação

Comente esta notícia

Ana Camargo 25/12/2017

Esta é a justiça que temos no Brasil, onde beneficia estes monstros e a vítima tem que ficar exposta a passar pelo mesmo sofrimento ou até mesmo a morte, eu me pergunto qual o papel do conselho tutelar neste caso?

1 comentários

1 de 1