facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 19 de Junho de 2024
19 de Junho de 2024

31 de Outubro de 2022, 14h:20 - A | A

GERAL / ARQUITETA TAMBÉM MORREU

Estudante vítima de explosão de lancha em MT morre após 35 dias internado

Vinicius Lopes Marcari, 24 anos, estava internado em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de Lucas do Rio Verde, mas não resistiu.

JOÃO AGUIAR
DO REPÓRTER MT



O estudante de nutrição Vinicius Lopes Marcari, 24 anos, morreu nesse domingo (30), após ficar 35 dias internado em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de Lucas do Rio Verde (354 km de Cuiabá). Ele tinha sido vítima da explosão de uma lancha no dia 24 de setembro, no Lago do Romancin.

Nas redes sociais, familiares e amigos lamentaram a morte do jovem. "Rita e Vinicius, vocês serão eternamente lembrados por nossa família. Nós amamos vocês, que Deus os receba de braços abertos! Olhe pela gente aí de cima, vocês jamais serão esquecidos. Todos nossos bons momentos ficarão eternizados em nossa mente e em nossos corações, obrigada por nos permitir fazer parte da história de vocês", diz uma das publicações.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

O corpo de Vinicius deve ser transladado até Pradópolis (SP), onde será enterrado.

Leia mais

Explosão de lancha mata mulher e deixa três feridos em MT

Marido de vítima de explosão de lancha e outros 2 estão intubados em UTIs

Empresário vítima de explosão de lancha morre e outros dois continuam internados

Vinicius e outras três pessoas estavam na lancha no momento da explosão. A arquiteta Rita de Cássia Fernandes Lírio, 25 anos, morreu na hora, carbonizada. O marido dela, Pablo Patrick, 27 anos, segue internado em uma UTI do hospital São Lucas.

A outra vítima da explosão, o empresário Douglas Zache, 30 anos, ficou 13 dias internado em uma UTI, mas morreu no dia 8 de outubro.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a lancha onde estavam as vítimas explodiu depois que alguém tentou dar partida no veículo aquático. Com a força da explosão, as vítimas foram arremessadas para fora do barco.

A Marinha do Brasil anunciou que deu início às investigações que poderão revelar o que causou a explosão da embarcação.

Comente esta notícia