facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 23 de Junho de 2024
23 de Junho de 2024

01 de Dezembro de 2022, 16h:22 - A | A

GERAL / TRUCULÊNCIA EM ABORDAGEM

Advogado compara delegado a "escorpião acuado" e diz que pedido de desculpas não muda nada

O delegado da Polícia Civil, Bruno França, é acusado de abuso de autoridade e coação e se afastou do cargo

DAFFINY DELGADO
DO REPÓRTER MT



Em entrevista ao RepórterMT na manhã desta quinta-feira (01), o advogado Rodrigo Pouso afirmou que o pedido de desculpas feito pelo delegado da Polícia Civil, Bruno França, "não muda nada" diante de tudo o que aconteceu no condomínio Florais dos Lagos, na última segunda-feira (28). Para ele, a atitude do delegado foi a mesma de um animal acuado.

"Não vai mudar nada no que nós vamos fazer e nos procedimentos que nós vamos tomar. (...) É mais ou menos aquilo que escorpião faz, você cerca ele e ele mesmo se pica", afirmou.

>>> Clique aqui e receba notícias de MT na palma da sua mão

Na noite de segunda, o delegado Bruno França invadiu a residência da empresária Fabíola Martins, localizada no Condomínio Florais dos Lagos, em Cuiabá, para cumprimento de prisão em flagrante por descumprir uma medida protetiva contra o enteado do delegado, de 13 anos. O menino teria sido coagido e ameaçado pela mulher.

Durante a ação, Bruno estava armado e agiu de forma truculenta e ameaçadora contra os moradores da casa, incluindo uma criança de 4 anos, filha da empresária, que gritava de desespero. Toda a situação foi registrada por câmeras de segurança. Desde então, ele passou a ser acusado de abuso de autoridade e coação durante ação policial.

A Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso (OAB-MT) emitiu um posicionamento na quarta-feira (30), pedindo o afastamento do delegado. Assim que tomou conhecimento da repercussão e do pedido da OAB, Bruno emitiu uma nota de esclarecimento onde pediu desculpas ao advogado Rodrigo, à criança e ainda informou que pediu afastamento não remunerado voluntariamente para a instituição.

Ainda na entrevista, o jurista afirmou que entende a atitude de se afastar do cargo, mas defendeu que o pedido de desculpas deva ser direcionado a todos os envolvidos, não apenas a ele.

"Acredito que ele está fazendo isso aí para demonstrar algum arrependimento depois de ter parado para analisar tudo isso que aconteceu. Nós vamos seguir tudo que estiver dentro da norma. Eu entendo o pedido de desculpas dele, mas isso não tem a ver só comigo, nós temos que pedir desculpa é lá pro pai, para a mãe, para a criança para a sociedade, ele é um delegado e defende a sociedade", declarou.

Leia mais sobre o caso

Delegado que invadiu residência e ameaçou "estourar cabeça" de mulher pede afastamento do cargo

Vídeo: Delegado invade casa e ameaça "estourar cabeça" de mulher em Cuiabá; Corregedoria investiga

 

Comente esta notícia