Cuiabá, 29 de Janeiro de 2023
logo

23 de Novembro de 2014, 16h:59 - A | A

ESPORTE / ARENA PANTANAL

São-paulinos são maioria em clássico com público de Copa

KEKA WERNECK
DO TERRA



Mais de 30 mil torcedores, majoritariamente são-paulinos, chegaram mais cedo à Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), e às 14h30 (horário local), quando os portões abriram, uma multidão já esperava em filas gigantes pelo clássico Santos x São Paulo, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, em uma movimentação só vista nos jogos da Copa do Mundo 2014. Os são-paulinos de Cuiabá vão assistir à disputa como se fosse uma final, não se importando muito com a Série A e de olho na Copa Sul-Americana.

Torcedores chegaram com antecedência ao estádio
Foto: Keka Wenerck / Especial para Terra

O aposentado Jusdemar Assad Karam, 71 anos, que sempre foi tricolor, só viu o São Paulo jogar há 18 anos, quando o clube esteve em Cuiabá. Para ele, a disputa no antigo Estádio Verdão, que foi demolido para dar lugar a Arena Pantanal, foi inesquecível. "Tempo de Raí e demos de 6 a 0 no Botafogo", lembra Karam, que estava super empolgado.

"Um tio meu, chamado Tio Santo, forçava a gente a torcer para o São Paulo, eu e meu irmão, e deu certo, somos fanáticos". Sobre a disputa deste domingo, "nosso time tem condições de fazer um bom jogo e vim aqui para ver especialmente o grande Kaká, espero que jogue ao menos no segundo tempo".

Outro empolgado com a disputa é Francisco José de Oliveira, 33 anos, que só viu o São Paulo jogar uma única vez na vida, no Morumbi. Ele veio de Rondonópolis, a 200 km de Cuiabá, só para acompanhar a partida. "Vai ser um bom jogo, esta é uma boa equipe, esperamos que alguns titulares joguem pelo menos por um tempo, porque eu acho difícil ganhar o Brasileiro. Então para mim o que importa é o jogo de hoje, que vou curtir muito, esperei muito por isso".

O Santos também levou torcedores à Arena Pantanal. Júlio César Premente, 42 anos, arrastou o filho Thiago, 11. O santista pai não conseguiu conduzir a escolha do filho, que é flamenguista. "Mas o importante é ver o Santos jogar, coisa que nunca vi", comemora Júlio.

São-paulinas elegem Kaká, Ceni e Pato os mais "gatos"Desde a Copa do Mundo, a Arena Pantanal tem sediados disputas de grandes clubes, o que era incomum em Cuiabá. Isso mudou a cena esportiva na cidade. A maioria dos jogos pós-Copa, no entanto, deram públicos inferiores a 10 mil pagantes.

Em uma conversa rápida com as torcedoras são-paulinas na porta da Arena Pantanal, elas garantem que, independente do time que levar o título, não tem para ninguém: os jogadores mais gatos da Série A são do São Paulo.

São-paulinas esperam ver o ídolo Kaká
Foto: Keka Wenerck / Especial para Terra

Kaká é o preferido das mulheres que vestem a camisa tricolor, seguido do veterano Rogério Ceni, que conquista pelo histórico de lutas pelo time, e Pato.

Toda a família de Carla Zuliane Faria, 28 anos, é são-paulina. Ainda assim, ela nunca na vida tinha visto o time jogar. Mas o que a levou à disputa entre São Paulo e Santos deste domingo na Arena Pantanal? "Foi o Kaká. Vou gritar muito se ele entrar em campo", garante. Na Copa, Carla conheceu a Arena. Neste domingo, vai conhecer o ídolo, nem que seja vendo apenas no banco de reserva.

Káká, além de galã, já tem também experiência. Aos 32 anos, representa para o time a raça e o equilíbrio. O salário atual não sinaliza a fortuna que o atleta já acumulou em mais de 10 anos de carreira, vestindo a camisa da Seleção em duas Copas do Mundo. Recém-separado, alimenta a fantasia das mais delirantes, como Anelise Mascarenhas, 20 anos. "Ele agora vai se casar comigo", brinca.

A estudante Ariadne Pereira da Silva, 17 anos, é fã do Pato.  De fato o atacante é bom partido, 24 anos, 1,79 m de altura, cabelos ao vento... Aos 41 anos, Ceni defende o São Paulo há mais de duas décadas. Para as torcedoras, isso supera qualquer coisa. Márcia Cristina, 32 anos, lembra que ele foi revelado pelo Sinop, de MT, em 1990. Segundo ela, o que encanta é que é fiel ao time.

Comente esta notícia