facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 26 de Maio de 2024
26 de Maio de 2024

09 de Agosto de 2010, 12h:24 - A | A

VARIEDADES /

Internet é a nova aliada para o comércio

A Gazeta



O comércio eletrônico ou e-commerce, como é conhecido mundialmente, pode ser uma boa saída para a realização de negócios por micro e pequenos empreendedores, como artesãos. A afirmação é do diretor executivo da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net), Gerson Rolim. "Nós enxergamos o comércio eletrônico como uma excelente e gigantesca oportunidade de negócios para o micro, pequeno e médio empresário. E o artesão, certamente, se encontra nesse rol de empreendedores, principalmente se esse pequeno empreendedor tem foco em um mercado de nicho, que é o perfil do artesão, que trabalha em um produto específico que acaba sendo regional".

A camara-e.net tem observado um crescimento acelerado do comércio eletrônico no Brasil, que este ano deverá aumentar 40% em relação ao faturamento do ano passado, de R$ 10,5 bilhões. Rolim destaca que o e-commerce traz também ferramentas - os portais de comparação de preços - que permitem aos consumidores ter instantaneamente a informação de onde comprar pelo menor preço possível. Para ter competitividade de preços com os grandes varejistas online, Rolim recomenda que os pequenos empreendedores deem prioridade a uma produção diferenciada.

>> Clique aqui e participe do grupo de WhatsApp 

As lojas virtuais, como o portal Tanlup - que em 14 meses de lançamento já tem 1,4 mil pequenos empreendedores associados de artesanato e moda -, são uma tendência mundial, admitiu o diretor executivo da camara-e.net. "Para o pequeno (empreendedor), que tem mercado limitado ao bairro ou à microrregião onde atua, ele rompe essas barreiras geográficas por meio da internet. Ele passa a poder atender a todos os municípios do seu estado e, numa situação mais abrangente, (atende) o Brasil inteiro e até fora do país". Em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) e os Correios, a camara-e.net realiza um trabalho de sensibilização e capacitação dos micro, pequenos e médios empreendedores para o comércio eletrônico. O evento ciclompe.net faz essa capacitação. Rolim assegura que os negócios feitos por meio do e-commerce nessas lojas virtuais são seguros para os consumidores. Para reduzir experiências ruins nas transações pelo comércio eletrônico, a camara-e.net recomenda que os consumidores comprem de lojas e marcas conhecidas. Para abranger os micro e pequenos empreendedores que ainda não têm marcas conhecidas, a entidade e as associações comerciais estão se preparando para lançar, ainda neste semestre, um selo de qualidade na internet. "Assim como o e-consumidor tem uma cartilha de boas práticas para minimizar o risco de ter uma experiência ruim online, também existem boas práticas de segurança para o varejista".

Comente esta notícia