facebook-icon-color.png instagram-icon-color.png twitter-icon-color.png youtube-icon-color.png tiktok-icon-color.png
Cuiabá, 15 de Julho de 2024
15 de Julho de 2024

22 de Junho de 2010, 23h:34 - A | A

POLÍTICA /

WS diz que projeto de Mauro Mendes vai naufragar

De Brasília - Vinícius Tavares



"A candidatura de Mauro Mendes (PSB) tem 70% de naufragar". A estimativa "otimista" é do pré-candidato ao governo do Estado, Wilson Santos (PSDB), que junto com o vereador Ivan Evangelista (PPS) reuniram-se hoje com o presidente nacional do PPS, Roberto Freire.

A estratégia dos apoiadores de Wilson é atacar no ponto fraco da chamada terceira via. Para tanto, exigem que o PPS adote uma decisão “de cima para baixo” que possa fazer com que a legenda desista de apoiar a candidatura de Mauro Mendes e siga a orientação nacional de apoio ao PSDB.

Em reunião com Freire, a dupla pede a interferência do comando nacional do PPS com vistas à candidatura do empresário Eduardo Moura (PPS)a deputado federal. “Mostramos ao Roberto Freire que o Eduardo Moura não vai se eleger se continuar para a Câmara dos Deputados na coligação com o PDT e PSB. Se ele vier para o PSDB ele tem chances reais”, observou.

Wilson e Evangelista insistiram que a fragilidade do Movimento Mato Grosso Muito Mais é o grande argumento para que o PPS abandone o que consideram de “barca furada”. Segundo o ex-prefeito da capital, a incerteza envolvendo a falta de coeficiente faz com que o deputado Valtenir Pereira continue “sonhando” na possibilidade de se aliar com Silval Barbosa.

“O deputado Valtenir Pereira sabe que não há como fazer 200 mil votos apenas com o Eduardo Moura. E se entrar o deputado (estadual) Otaviano Pivvetta, que tem muito dinheiro, quem se elege é o Pivetta. Então há uma incerteza muito grande no futuro na coligação. Os partidos que integram o Mato Grosso Muito Mais vivem na UTI” declarou.

“Essa chapa é uma fria. O PPS corre o risco de ficar sem deputado estadual e federal. Para fazer um estadual, só se for com um chapão”, acrescentou Ivan.

Comente esta notícia