Cuiabá, 02 de Julho de 2022
logo

Segunda-feira, 24 de Outubro de 2011, 15h:50 - A | A

"MÁFIA DOS COMBUSTÍVEIS"

"Tenho medo de morrer", diz jornalista que denunciou Taques

José Marcondes assinou artigo no qual denuncia ligação de senador com chefões de postos

ANDRÉ MICHELLS

O jornalista José Marcondes (Muvuca) disse hoje (24) ao RepórterMT que está com medo de morrer por conta da denúncia que fez, em artigo, contra o senador Pedro Taques, ao qual associou a uma suposta “máfia dos combustíveis”.  Eu recebi um telefonema hoje,  de pessoa não identificada me ameaçando. “Cuidado com o que você fala, dizia".
 

Muvuca informou que já sofreu a primeira represália hoje, por conta da denúncia. “Houve uma ligação de Aldo Locatelli (presidente do Sindipetróleo) para me tirar do programa da Rádio Mega FM, no qual eu participo com Lino Rossi, o Chamada Geral”, disse.  
 

O jornalista contou que recebeu ligação de Rossi, no mesmo dia em que publicou o artigo, informando do afastamento. Para o jornalista, a represália configura, ainda mais, a relação por ele destacada em artigo - Clique e leia o artigo na íntegra - “Eu fui tirado do ar em função de uma opinião que emiti, mas não vão me calar, tudo o que eu sei, vou falar. Tudo o que aconteceu configura a ligação entre os dois [Aldo e Taques], porque eu fiz um artigo criticando o Taques e o Aldo Locatelli, que tem laços com o programa, mandou que me tirassem do ar”, avaliou.   
 

Muvuca argumenta que, no artigo, não cita nomes a não ser de Taques e, pela reação imediata que houve, diz temer pela vida. “O Juiz Leopoldino morreu fazendo o que eu fiz, ligando os pontos e fazendo associações, como a que liga a existência dessa relação de Taques, que "combate" a corrupção, com a máfia dos combustíveis. Agora o Taques quer me denunciar por calúnia e difamação e eu quero que ele explique o contrato que tem com o Locatelli”, diz.
 

O jornalista disse que Taques possui, através de seu escritório, um contrato de R$ 1 milhão para defender o Sindipetróleo. “Quem financiou a campanha dele foram os chefões do combustível. Ele impediu a construção de outros modais de transporte para beneficiar os vendedores de combustíveis, que, só no ano passado, comercializaram mais de 800 milhões de litros em MT”, contou.  
 

“A primeira prova disso veio ontem, porque a ordem para me tirar [do rádio] veio de Locatelli. Depois tem esse contrato do escritório de Taques com o Sindicato. Não vão me calar, tenho outros nove artigos escritos e tenho medo de morrer sim, porque com o juiz Leopoldino foi assim, mas eu não tenho proteção. Hoje tiram minha voz, amanhã tiram minha vida. O Locatelli é o chefe de tudo isso”, acusou.
 

Além da suposta ligação de Taques com a chamada máfia dos combustíveis, José Marcondes, acusou Taques de prevaricar enquanto promotor, no processo de extradição de Marcos Peralta, testemunha-chave no caso Leopoldino. “O processo estava na mesa dele e ele não fez o que devia e o Peralta foi morto numa queima de arquivo. Auro Ida (assassinado) já havia questionado isso”, lembrou. 
 

OUTRO LADO

 

Por meio de sua assessoria, o senador Pedro taques negou, na tarde de hoje, todas as acusaçõs do jornalista e disse que vai mover processo por injúria, calúnia e difamação contra Muvuca.


Confira nota: Em razão das denúncias infundadas contidas no artigo “A máfia de Pedro Taques”,  assinado pelo jornalista José Marcondes (Muvuca) e divulgado neste domingo em alguns sites de notícia, a assessoria de imprensa do senador Pedro Taques (PDT) informa que o parlamentar irá acionar o jornalista na Justiça por crime contra a honra. Senador e professor de Direito Constitucional, Taques defende a liberdade de imprensa e de opinião, porém, exercida com responsabilidade.


O senador destaca que nestes nove meses de mandato muitos foram os artigos de jornalistas com tom crítico em relação a sua atuação. Entretanto, conforme frisa o parlamentar, enquanto as críticas ficam no campo político a imprensa nada mais está a fazer que exercer seu direito Constitucional. Mas a partir do momento que lhe são atribuídas práticas ilícitas, como as que lhe foram dirigidas por José Marcondes, o senador tem o direito de buscar da Justiça uma retratação. 


No referido artigo, José Marcondes tenta associar o senador Pedro Taques a uma suposta “máfia dos combustíveis”, já que o pedetista recebeu recursos do setor de combustível na campanha eleitoral. As acusações do jornalista são infundadas, desconexas e servem a interesses políticos contrários ao do senador, visto que o jornalista não apresentou provas. 


A prestação de contas de campanha do senador foi devidamente apresentada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), sem nenhuma irregularidade verificada e, mais importante, todos os doares e valores doados estão disponíveis e abertos a toda população. 
 

Taques defende o direito não só dos jornalistas, mas de todo cidadão, de escrever contra autoridades políticas, porém acusações de supostos crimes devem ser embasadas com provas. “A liberdade de imprensa deve ser assegurada, defendo essa expressão da democracia. Não podemos impedir que ninguém se manifeste. Eu, como agente público, entendo que tenho minha intimidade relativizada e defendo o direito de qualquer cidadão escrever contra autoridade política. No entanto, também entendo que liberdade rima com responsabilidade e me reservo o direito de tomar providências na justiça”, esclareceu Taques. 
 

Conforme o advogado do senador, Paulo Taques, as ações judiciais serão impetradas hoje no fórum de Cuiabá, sendo as petições baseadas nos crimes contra a honra, notadamente injúria, calúnia e difamação. 

Em qualquer lugar que visita, o senador faz questão de relembrar o valor de sua campanha. Ele arrecadou e gastou R$ 1,1 milhão, quatro vezes menos que os principais adversários. 

Taques, inclusive, propôs um projeto de lei no Senado que aperfeiçoa a transparência nas doações de campanha. Conforme o projeto de lei do Senado (PLS) 601, disponível para consulta no site oficial no Senado, candidatos a cargos eletivos terão que divulgar a relação de doares de suas campanhas antes da eleição, bem como os valores doados. Pela legislação atual, o eleitor só fica sabendo quem são os financiadores de seus candidatos depois da eleição.

Comente esta notícia

Silmara 18/04/2012

Caro Jose Carlos trabalho na empresa em Sao Paulo e desconheço quaisquer tipos de negocios obscuros a não ser que obter lucro com o comércio de produtos para o senhor represente isso.

Leonardo Castro 30/01/2012

Hoje a midia tem muito mais força que no passado. Os polícos de ontem e quem hoje ainda estão no poder tem q saber que as falcatruas construidas no passado hoje não podem mais ser feitas sem ao menos ser vista por alguem. E quando esse alguem tem a profissão de reporter tem mais é q jogar a m...a no ventilador. RECADO: Vulgos poderosos... tenham medo pois ninguem ficará mais calado.

JOSE CARLOS 07/01/2012

QUE A MAFIA EXISTE, NOS CONSUMIDORES NÃO TEMOS DUVIDA, PROVADO ATRAVÉS DOS ALTOS PREÇOS DO COMBUSTÍVEL, QUE SOMOS OBRIGADO A PAGAR EM QUALQUER POSTO DE MATOGROSSO. AGORA O NOSSO SENADOR COMO REPRESENTAR DESTE GRUPO E UMA VERGONHA. ME PERGUNTO O CARGO DE SENADOR NÃO E PARA REPRESENTAR O ESTADO....AGORA ESSE ALDO LOCATELLI TEM QUE SER FEITO UMA DEVASSA NA SUA VIDA PORQUE TEM ALGUMA COISA ERRADO TEM.... A TEMPO QUE COMENTA O SEU ENVOLVIMENTO EM VARIOS EPISODIO TENEBROSOS........PRISÃO DO FILHO NA MAFIA DO COMBUSTIVEL, NEGOCIOS EM CURITIBA E SAO PAULO, SEMPRE COM CUNHO OBSCURO

Edmar Roque 25/10/2011

Porque o sr. Muvuca não apresenta uma denúncia ao MPF com as provas e acaba logo com isso? Conheço o Pedro Taques de muito tempo, ele pode até gostar de um holofotezinho, mais daí a esculhambar a vida dele é outra coisa. Acho que o sr. Muvuca não tem credibilidade e parece estar a serviço de outras causas. Esperemos....

Edmar Roque 25/10/2011

Porque o sr. Muvuca não apresenta uma denúncia ao MPF com as provas e acaba logo com isso? Conheço o Pedro Taques de muito tempo, ele pode até gostar de um holofotezinho, mais daí a esculhambar a vida dele é outra coisa. Acho que o sr. Muvuca não tem credibilidade e parece estar a serviço de outras causas. Esperemos....

Lourival Filho 25/10/2011

Aff... espero que tudo isso seja mentira, pois votei no senador pensando que era um homem direito. Espero que seja apurado todos os fatos.

maurilio costa 25/10/2011

Se o senador nao tem nada a ver com essa denuncia, é bom que ele venha se explicar para as pessoas que o elegeram, como, e ja que eu ajudei a te eleger senador gostaria que voce viesse a publico atraves de uma coletiva se explicar, o que nao pode e a gente ficar na duvida quanto a sua etica, ja que prega isso a todo tempo, pois quando me vi diante de um cidadao que atuou firme contra o crime organizado no estado, eu disse esse é o cara em quem vou votar se for candidato, e o fiz a gora quero como eleitor uma explicaçao, nao se joga merda no ventilador dos outros sem ter certeza do que esta fazendo, esse jornalista fez isso baseado em que venha provar pedro que ele esta errado, pois estamos cansados de houvir a frase que fala "que é so chegar em brasilia que vira corrupto", e nao espero que isso aconteça com voce pedro taques, se nao tem nada a ver com esse tal aldo locatelli, venha provar porque a respeito do aldo ja temos a certeza e conhecimento das atitudes desse cidadao, pois logo que assumiu o sindipetroleo, agente so ve os preços subirem e o cartel do combustivel imperando em mato grosso, e ate o ministerio publico nao atua mais com rigor sera porque hein, se voce nao defende esse povo pedro abre uma luta contra o cartel dos combustiveis e façam baixar os preços, ja que voce diz defender o povo, da um basta nessa roubalheira que esta nas bombas dos postos de combustiveis, essa sera a melhor resposta para seus eleitores e vamos ver quem esta com a verdade.

Ana 24/10/2011

Medo de morrer??????? Acho que este jornalista está com medo é das consequenciais judiciais que vai sofrer nas costas. Vi em outro jornal que a esposa do Taques tem um contrato firmado com o Sindpetróleo, no qual atua com advogada. Agora me diga, só pq é esposa do Taques ela não pode trabalhar??????? Me poupe, reportagem com sensacionalismo barato e com fins obscuros. Isso é que dá tirar a exigibilidade de diploma para jornalista, sai cada irresponsável no mercado.

Augusto Ricardo 24/10/2011

Esse Muvuca é filiado ao DEM e não deveria ser jornalista.

Sergio Jesus 24/10/2011

É assim mesmo a vida publica senador, uma hora atiramos pedra na vidraça. outra hora somos a propria vidraça, acho coerente da sua parte como jurista, professor de direito querer impetrar esta ação contra o jornalista, Mas como meu representante quero que venha a publico e esclareça tudo, pois se fica muito feio para o senhor, e qto ao senhor Aldo Locatelli querer cobrar provas do que vemos e notamos em nosso bolso já é prova demais, dos preços deste carteis que são todos combinados, e qdo aparece alguem que peita, eles tiram fora de cena, estamos de olhos bem abertos e vamos fiscalizar.

11 comentários

1 de 2
Última