Cuiabá, 05 de Dezembro de 2022
logo

10 de Dezembro de 2016, 07h:50 - A | A

POLÍTICA / RESTOS A PAGAR

Gallo afirma que mutirão pode quitar 50% das dívidas que Mendes vai deixar

Segundo o procurador Rogério Gallo, a atual gestão calcula que possam ficar R$ 40 milhões em dívidas para o próximo prefeito, mas a expectativa é que o mutirão de conciliação arrecade R$ 20 milhões.

RAFAEL DE SOUSA
REDAÇÃO



Em entrevista ao , o procurador-geral de Cuiabá, Rogério Gallo, afirmou que com R$ 40 milhões em restos a pagar e restando apenas 20 dias para encerrar seu mandato, o prefeito Mauro Mendes (PSB) aposta no sucesso do mutirão da execução fiscal, para reduzir 50% do montante da dívida até a entrega da Prefeitura ao sucessor Emanuel Pinheiro (PMDB), no dia 1º de janeiro. 

“Além de fazer tudo que fez, [Mauro] pagou R$ 150 milhões de dívidas de outros governos. Isso é uma demonstração de gestão, de controle da máquina, eficiência e respeito ao contribuinte”, argumentou.

De acordo com Gallo, responsável pela execução fiscal do Município, a expectativa é que o mutirão, no qual o contribuinte negocia descontos nos impostos atrasados, possa reforçar o caixa da Prefeitura com cerca R$ 20 milhões, até o próximo dia 19 de dezembro.

No entanto, o procurador-geral que mesmo que não seja contabilizada essa arrecadação prevista, a dívida deixada pelo Governo Mauro é quase quatro vezes menor que os R$ 195 milhões herdados da gestão Chico Galindo (PTB).

“Além de fazer tudo que fez, [Mauro] pagou R$ 150 milhões de dívidas de outros governos. Isso é uma demonstração de gestão, de controle da máquina, eficiência e respeito ao contribuinte”, argumentou.

As dívidas estão relacionadas aos fornecedores fixos da Saúde, Educação, Assistência Social, além de setores administrativos das secretarias e do próprio Palácio Alencastro, sendo que parte delas são referentes a este mês de dezembro e, que certamente, será repassada para a próxima gestão.

O procurador destaca, que apesar da crise, a Prefeitura sempre pagou fornecedores e os salários dos servidores dentro do prazo e isso foi possível devido ao aumento da arrecadação.

“Antes da gestão do prefeito Mauro, a Procuradoria arrecadou R$ 26 milhões. Nós estamos fechando, sem considerar o mutirão da conciliação com R$ 106 milhões arrecadados”, revela Gallo.

A maior responsável pelo aumento foi a dívida ativa do município, com cerca de R$ 84 milhões arrecadados a mais que a gestão anterior.

“Isso implicou na possibilidade para o prefeito fazer gestão e entregar os parques, obras, melhorias em escolas públicas, creches e realizar 300 quilômetros de asfaltamento. O equilíbrio fiscal que atingiu com a melhoria da arrecadação”, pontua o procurador-geral.

 

 

VEJA VÍDEO

Comente esta notícia